Bixiga em Foco

De volta à Rua 13 de Maio, fica a Conchetta, que oferece o mais tradicional rodízio de massas de São Paulo. Por um preço justo, são oferecidos antepastos, massas e molhos diversos, pão italiano, porpetas, polenta e frango!

♫ Domingo nós fumo num samba no Bixiga,

Na Rua Major, na casa do Nicola,

Á mezza-notte o´clock saiu uma baita duma briga,

Era só pizza que avuava,

Junto com as brachola. ♫

“Um samba no Bixiga”,  Adoniran Barbosa

Poucos compositores retrataram tão bem os tipos e bairros paulistanos como o saudoso Adoniran Barbosa (1910-1982). Filho de imigrantes italianos, o nativo da cidade de Valinhos compôs clássicos inesquecíveis como “Viaduto Santa Ifigênia”, “Praça da Sé”, e “Trem das onze”, que imortalizou o bairro do Jaçanã. O Bixiga, bairro italiano por excelência, era um dos locais favoritos do compositor. Boêmio e grande observador, era comum vê-lo em seus bares e restaurantes, onde encontrava vários amigos, como o “Seo” Walter Taverna, dono de diversas cantinas e verdadeira instituição do Bixiga, e Ernesto Paulelli (1915-2014), que foi homenageado no “Samba do Arnesto”. Ernesto nasceu no Brás e depois morou na Moóca – outros dois tradicionais bairros italianos de São Paulo. Ernesto jurava de pés juntos que nunca deu bolo, como o Arnesto da música! Adoniran retratou como ninguém o jeito, o sotaque e garra dos imigrantes italianos e seus descendentes, que foram fundamentais na construção e desenvolvimento de nossa cidade. Apesar de sempre ter morado na Rua Aurora, no centro da cidade, ele acabou virando um símbolo do Bixiga – há uma rua batizada com seu nome, e a Praça Dom Orione tem um busto em sua homenagem (ambos em estado de conservação lamentável, infelizmente!).

 

Cenário de diversos filmes, novelas e peças publicitárias, o bairro do Bixiga, um dos mais tradicionais de São Paulo, não existe oficialmente. Diz a lenda que o apelido Bixiga veio do português Antonio Manuel de Abreu, que sobreviveu a uma epidemia de varíola que assolou a região em 1793. O pobre português “bixiguento”, com sua aparência assustadora devido às cicatrizes da doença, acabou dando o nome a toda a região. Apesar de o bairro ter sido nomeado oficialmente como Bela Vista em 1910, devido às belas vistas que alcançavam até a Serra da Cantareira, o nome nunca pegou! Como todo bairro italiano que se preze, suas cantinas e padarias são famosas – muitas delas são centenárias. Mas nem só de comida vive o Bixiga: o bairro é também conhecido como um dos berços do teatro brasileiro, sendo comparada à Broadway, de Nova York. O lendário Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), inaugurado em 1948, encenou peças com grandes atores da dramaturgia nacional, como Cacilda Becker, Tônia Carrero, Paulo Autran, Sergio Cardoso e Walmor Chagas. O Teatro Zaccaro apresentou desde peças teatrais a programas de televisão. Mas é triste ver que esses dois grandes espaços, onde eu assisti diversas peças, estão completamente abandonados e nem de longe lembram a glória de anos atrás! Apesar do crescente descaso do poder público com a cultura brasileira, muitos teatros ainda sobrevivem na região, como o belo Teatro Renault (antigo Teatro Abril), que abriga musicais da Broadway, e atrai espectadores de todo o país, e os teatros Sergio Cardoso e Bibi Ferreira, que sempre apresentam peças de sucesso.

 

Um bairro italiano não poderia deixar de ter suas igrejas! A belíssima Paróquia Nossa Senhora de Achiropita, inaugurada por imigrantes italianos em 1926, é a responsável por uma das festas mais tradicionais da cidade: a Festa de Nossa Senhora de Achiropita, que acontece todos os anos em agosto. Durante todos os finais de semana do mês, quase 1.000 voluntários trabalham para oferecer diversos pratos italianos em 30 barracas, aos mais de 250.000 visitantes famintos. Os números são respeitáveis: segundo os organizadores, mais de 12.000 fogazzas são consumidas em uma única noite! Mas toda a comilança é por uma boa causa, já que todo o dinheiro arrecadado é utilizado nos trabalhos sociais da igreja. A belíssima Basílica Nossa Senhora do Carmo, na Rua Martiniano de Carvalho, é outro local que merece a visita. E se você acha que essas são as únicas atrações do Bixiga, se enganou! No bairro podemos encontrar construções históricas interessantes, como a Casa de Dona Yayá e a Vila Itororó. Podemos encontrar museus inusitados, como o Museu dos Óculos e o Museu Memória do Bixiga. Eu adoro caminhar por suas ruas e casinhas antigas, e visitar seus antiquários. Aos domingos, há uma boa feira de antiguidades na Praça Dom Orione. O bairro conta até com uma escola de samba, a tradicional Vai-Vai!

 

Apesar de sua enorme importância turística, cultural e histórica, o adorável bairro do Bixiga não vem recebendo o tratamento que merece. Suas ruas estão sujas, moradores de rua e usuários de droga são facilmente encontrados em todo o bairro. É triste ver que locais como a Praça Dom Orione, que abriga a feira de antiguidades, sofrem com o vandalismo e descaso. Os bustos de bronze de Adoniran Barbosa e Dom Luis Orione, ambas do artista Luis Morrone, foram emporcalhados com pichações. O coreto no centro da praça está em estado deplorável – isso a apenas alguns metros da Avenida Paulista. Quando é que o vandalismo de patrimônio público será punido com a severidade necessária? O Bixiga, que deveria ter a mesma importância que Little Italy e a Broadway têm para os nova-iorquinos, merece ser tratado com mais cuidado! Com isso, ganharão os moradores, os turistas e a cidade de São Paulo!

 

A melhor pedida para chegar no Bixiga é o metrô: a Estação Brigadeiro (linha verde) é a mais próxima. Desça pela Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, em direção ao centro da cidade, e logo você cruzará a Rua Treze de Maio, a principal rua do bairro. Você também pode ir pelo caminho inverso: nós descemos na Praça da Sé (linhas azul e vermelha), e subimos a avenida. Há também diversas linhas de ônibus que passam por lá. Mas não aconselho fazer esses trajetos à noite – neste caso, é melhor pegar um táxi ou ônibus a partir da estação de metrô. Se você vier de carro, prepare o bolso, pois os estacionamentos são caríssimos, especialmente os que estão perto dos teatros! O Bixiga continua sendo um lugar muito especial, um verdadeiro pedaço da Itália em São Paulo – venha conhecer!

Começamos nosso passeio descendo o Viaduto Maria Paulina, que termina na Praça João Mendes. Ao fundo podemos ver a cúpula da Catedral da Sé.

Começamos nosso passeio descendo o Viaduto Maria Paulina, que termina na Praça João Mendes. Ao fundo podemos ver a cúpula da Catedral da Sé.

O Viaduto Maria Paulina, inaugurado em 1948,  liga a Praça João Mendes e a Avenida Brigadeiro Luiz Antonio.

O Viaduto Maria Paulina, inaugurado em 1948, liga a Praça João Mendes e a Avenida Brigadeiro Luiz Antonio.

O viaduto passa sobre a Avenida 23 de Maio, uma das principais artérias do trânsito paulistano. Indo naquela direção, chegaremos ao Parque do Ibirapuera e a zona sul de São Paulo.

O viaduto passa sobre a Avenida 23 de Maio, uma das principais artérias do trânsito paulistano. Indo naquela direção, chegaremos ao Parque do Ibirapuera e a zona sul de São Paulo.

A Rua Dona Maria Paula, que vai até a Praça da República.

A Rua Dona Maria Paula, que se inicia neste ponto e vai até a Praça da República.

Para lá fica o início da Avenida Brigadeiro Luis Antonio, que se inicia no Largo São Francisco.

Para lá fica o início da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, que começa no Largo São Francisco.

A Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, importante via que começa no Largo São Francisco, passa pela Avenida Paulista e termina no bairro do Itaim Bibi.

A Avenida Brigadeiro Luiz Antonio é uma das vias mais importantes de São Paulo. Ela atravessa a Avenida Paulista e termina no bairro do Itaim Bibi.

A Avenida Brigadeiro Luiz Antonio está repleto de teatros neste trecho. O belo Teatro Renault (antigo Teatro Abril) atrai espectadores de todo o país, que vem assistir grandes musicais da Broadway, como "O Rei Leão","Miss Saigon" e "O fantasma da ópera". Eu assisti "A bela e a fera" e gostei muito - igualzinho às produções de Nova York e Londres!

A Avenida Brigadeiro Luiz Antonio está repleta de teatros neste trecho. O belo Teatro Renault (antigo Teatro Abril) atrai espectadores de todo o país, que vem assistir grandes musicais da Broadway, como “O Rei Leão” e”Miss Saigon”. Eu assisti “O fantasma da ópera” e “A bela e a fera” e gostei muito – elas nada ficam devendo às produções de Nova York e Londres!

O teatro foi inaugurado em 1929, como Cine-Teatro Paramount, o primeiro cinema sonoro da América Latina.

O teatro, projetado por Ramos de Azevedo, foi inaugurado em 1929, como Cine-Teatro Paramount, o primeiro cinema sonoro da América Latina. Na década de 1960, abrigou os festivais de música da TV Record, onde se apresentaram artistas como Caetano Veloso, Edu Lobo e Tom Zé. Quase foi destruído por um incêndio em 1969, até ser restaurado nos anos 2000.

Na Rua Jaceguai, em frente à Praça Pérola Byington, fica o finado Teatro Imprensa, que fechou as portas em 2011.  O espaço apresentou peças teatrais de sucesso, como "Doze homens e uma sentença", e foi fechado devido à dificuldades financeiras do Grupo Silvio Santos, ex-proprietário do local.

Na Rua Jaceguai, em frente à Praça Pérola Byington, fica o finado Teatro Imprensa, que fechou as portas em 2011. O espaço apresentou peças teatrais de sucesso, como “Doze homens e uma sentença”, e foi fechado devido à dificuldades financeiras do Grupo Silvio Santos, ex-proprietário do local.

Embaixo da Praça Pérola Byington passa o Viaduto Julio de Mesquita Filho, mais conhecido como Ligação Leste-Oeste. Naquela direção, chegaremos à zona oeste da cidade.

Embaixo da Praça Pérola Byington passa o Viaduto Julio de Mesquita Filho, mais conhecido como Ligação Leste-Oeste. Naquela direção, chegaremos à zona oeste da cidade.

Na Rua Jaceguai encontramos o Teatro Oficina, inaugurada em 1958 na Faculdade de Direito da USP. Uma das companhias teatrais mais influentes do Brasil, e dirigida atualmente pelo polêmico José Celso Martinez Correa, sempre apresenta peças intrigantes e fora do circuito comercial.

A Rua Jaceguai e a Ligação Leste-Oeste. Nesta rua encontramos o Teatro Oficina, inaugurado em 1958 por alunos da Faculdade de Direito da USP. Uma das companhias teatrais mais influentes do Brasil, e dirigida atualmente pelo polêmico dramaturgo e diretor José Celso Martinez Correa, sempre apresenta peças de vanguarda e fora do circuito comercial.

Descendo pela Rua Jaceguai, chegamos à Rua Major Diogo. Aqui fica a Casa de Dona Yayá, construída por volta de 1870. Gostei da "tradução" da placa - não creio que os gringos irão entender!

Descendo pela Rua Jaceguai, chegamos à Rua Major Diogo. Aqui fica a Casa de Dona Yayá, construída por volta de 1870. A casa pertencia a uma grande chácara, que depois foi loteada. Gostei da “tradução” da placa – não creio que os gringos irão entender!

O casarão pertencia à Sebastiana de Mello Freire, senhora da alta sociedade paulistana, marcada por uma vida trágica. Ficou órfã muito jovem, e com a morte de seus irmãos, tornou-se a única herdeira da fortuna da família. Porém, o dinheiro não tornou sua vida mais fácil: uma doença mental fez com que ela vivesse reclusa em sua residência, que virou um sanatório particular.

O casarão pertencia à Sebastiana de Mello Freire, a Dona Yayá, senhora da alta sociedade paulistana, marcada por uma vida trágica. Ficou órfã muito jovem, e com a morte de seus irmãos, tornou-se a única herdeira da fortuna da família. Porém, o dinheiro não lhe trouxe felicidade: uma doença mental fez com que ela vivesse reclusa por praticamente toda sua vida.

Sua residência era um sanatório particular.

A jovem alegre, fluente em diversas línguas, e apreciadora das artes, foi considerada incapaz em 1919. Ela foi transferida para a residência na Rua Major Diogo em 1921, e lá permaneceu até sua morte em 1961. Sua residência era um hospício particular, e antigos moradores do bairro diziam que a casa era mal assombrada. Sem herdeiros, a casa hoje pertence à USP, e abriga o Centro de Preservação Cultural. A casa está aberta para visitação, e oferece concertos musicais gratuitos aos domingos.

Ainda na Rua Major Diogo, fica o belíssimo edifício que abrigou o Teatro Brasileiro de Comédia, o TBC. Inaugurado em 1948, por seu palco passaram grandes nomes da dramaturgia brasileira, como Paulo Autran, Cacilda Becker, Walmor Chagas, Tonia Carreto, Gianfrancesco Guarnieri e Sergio Cardoso.

Ainda na Rua Major Diogo, fica o belíssimo edifício que abrigou o Teatro Brasileiro de Comédia, o TBC. Inaugurado pelo empresário italiano Franco Zampari em 1948, passaram  por seus palcos grandes nomes da dramaturgia brasileira, como Paulo Autran, Cacilda Becker, Walmor Chagas, Tonia Carreto, Gianfrancesco Guarnieri e Sergio Cardoso.

Devido a dificuldades financeiras, o teatro fechou as portas em 1990. Abriu e reabriu algumas vezes, mas continua fechado. Existem planos para sua restauração, para futuramente abrigar a Biblioteca Jenny Segall, que está atualmente no Museu Lasar Segall. A biblioteca tem um acervo de mais de 20.000 livros e periódicos sobre teatro, cinema, ópera, dança, rádio e televisão.

Devido a dificuldades financeiras, o teatro fechou as portas em 1990, com algumas idas e vindas. Existem planos para sua restauração, para futuramente abrigar a Biblioteca Jenny Klabin Segall, que hoje se encontra no Museu Lasar Segall. A biblioteca tem um acervo de mais de 20.000 livros e periódicos sobre teatro, cinema, ópera, dança, rádio e televisão. Espero que isso se concretize – é uma pena ver um espaço tão importante nesse estado de abandono!

Ali pertinho, na Rua São Domingos, fica uma das instituições do Bixiga: a Padaria São Domingos. Pequena padaria inaugurada em 1913, produz deliciosos pães italianos. Nos finais de semana, há filas na porta!

Ali pertinho, na Rua São Domingos, fica uma das instituições do Bixiga: a Padaria São Domingos. Pequena padaria inaugurada em 1913, produz deliciosos pães italianos. Nos finais de semana, há filas na porta! Em 1968, a padaria quase foi desapropriada para a construção da Ligação Leste-Oeste, mas o elevado foi desviado, após os apelos dos proprietários.

A Padaria 14 de Julho, que fica na rua de mesmo nome, é outra padaria centenária do Bixiga. Inaugurada em 1897, a panificadora produz pães italianos e deliciosas iguarias.

A Padaria 14 de Julho, que fica na rua de mesmo nome, é outra padaria centenária do Bixiga. Inaugurada em 1897, a panificadora produz pães italianos e deliciosas iguarias.

O pão estava quentinho!!! Humm... Recentemente, a padaria foi ameaçada de desapropriação, já que o imóvel foi considerado de interesse social pelo governo. Agora, cá entre nós, não existem milhares de outros imóveis, realmente improdutivos e abandonados, mais apropriados para esse fim? Isso é que é falta de bom senso!

Pão italiano quentinho!!! Humm… Recentemente, a padaria foi ameaçada de desapropriação, já que o imóvel foi considerado de interesse social pelo governo. Agora, cá entre nós, não existem milhares de outros imóveis realmente improdutivos e abandonados, mais apropriados para esse fim? A Padaria 14 de Julho faz parte da história de São Paulo – deixem eles trabalharem em paz!!!

De volta à Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, encontramos o Castelinho da Brigadeiro. Projetado pelo arquiteto Giuseppe Sachetti, e construído entre 1907 e 1911 para o médico Claudio de Souza, foi restaurado por R$ 2 milhões. Está disponível para aluguel desde 2003, mas faltam interessados dispostos a desembolsar mais de R$ 25.000 mensais, mais o IPTU!

De volta à Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, encontramos o Castelinho da Brigadeiro. Projetado pelo arquiteto Giuseppe Sachetti, e construído entre 1907 e 1911 para o médico Claudio de Souza, foi restaurado por seu atual proprietário, uma grande empresa. Está para alugar desde 2003, mas faltam interessados dispostos a desembolsar mais de R$ 25.000 mensais de aluguel, mais o IPTU de mais de R$ 20.000!

O Teatro Brigadeiro, inaugurado em 1950, como Cine Monark. O local também serviu como auditório para programas da extinta TV Tupi por 6 anos. Após funcionar como Teatro Jardel Filho por 25 anos, o espaço passou a se chamar Teatro Brigadeiro em 2004.

O Teatro Brigadeiro, inaugurado em 1950, como Cine Monark. Após o fechamento do cinema, o local serviu como auditório para programas da extinta TV Tupi por 6 anos. Após funcionar como Teatro Jardel Filho por 25 anos, o espaço passou a se chamar Teatro Brigadeiro em 2004.

O Teatro Bibi Ferreira, inaugurado na década de 1930. Ao longo dos anos, o espaço apresentou peças importantes com atores como Juca de Oliveira e Edson Celulari.

O Teatro Bibi Ferreira, inaugurado na década de 1930. Ao longo dos anos, o espaço apresentou peças de sucesso com atores como Juca de Oliveira e Edson Celulari. Outro teatro lendário na avenida foi o Teatro Bandeirantes, que apresentou o espetáculo “Falso Brilhante”, com Elis Regina, por quase 2 anos na década de 1970. Foi lá também que seu corpo foi velado em 1982. Hoje, o teatro abriga uma igreja evangélica.

Na Rua Martiniano de Carvalho, fica a bela Basílica Nossa Senhora do Carmo, inaugurada em 1934.

Na Rua Martiniano de Carvalho, fica a bela Basílica Nossa Senhora do Carmo, projetada pelo arquiteto polonês Georg Przyrembel,e inaugurada em 1934.

As pinturas na igreja foram feitas por Tullio Mugnaini e as Vias Sacras por Carlos Oswald. O órgão da basílica foi feito na Alemanha em 1934, com 2206 tubos.  Em 1955, foi ampliado para ter uma sonoridade de 9600 tubos.

As pinturas na igreja foram feitas por Tullio Mugnaini e as Vias Sacras por Carlos Oswald. O órgão da basílica foi feito na Alemanha em 1934, com 2206 tubos. Em 1955, foi ampliado para ter uma sonoridade de 9600 tubos.

Na Rua Martiniano de Carvalho fica uma das construções mais inusitadas da cidade, a Vila Itororó. Construída em 1922 pelo empresário português Francisco de Castro, consistia de um casarão de 4 andares, e 37 casas ao redor, perfazendo uma área total de 4.500 m².  Foi a primeira residência particular a ter uma piscina, que era abastecida com as águas da nascente do Riacho Itororó, que passava por ali. Foi a primeira vila da cidade de São Paulo.

Na Rua Martiniano de Carvalho fica uma das construções mais inusitadas da cidade, a Vila Itororó. Construída em 1922 pelo empresário português Francisco de Castro, consistia de um casarão de 4 andares, e 37 casas ao redor, perfazendo uma área total de 4.500 m². Foi a primeira residência particular a ter uma piscina, que era abastecida com as águas da nascente do Riacho Itororó, que passava por ali. Foi a primeira vila da cidade de São Paulo.

O palacete foi construído com material de demolição: as colunas de mármore vieram do Teatro São José. Além das colunas gregas, o casarão era ornamentado com vitrais franceses, carrancas, estátuas e vasos impostados. Francisco de Castro levava uma vida extravagante, oferecendo festas para políticos, artistas e intelectuais. Com isso, logo se afundou em dívidas, e o palacete foi leiloado.

O palacete foi construído com material de demolição: as colunas de mármore vieram do Teatro São José. Além das colunas gregas, o casarão era ornamentado com vitrais franceses, carrancas, estátuas e vasos impostados. Francisco de Castro levava uma vida extravagante, oferecendo festas para políticos, artistas e intelectuais. Com isso, logo se afundou em dívidas, e o palacete foi leiloado.

Com o tempo, a vila se transformou num grande cortiço, e agora pouco lembra a sua antiga suntuosidade. Em 2010, após ser tombado pelo patrimônio histórico, 86 famílias que moravam na vila foram removidas. Planeja-se implantar ali um centro cultural, mas até agora não saiu do papel.

Com o tempo, a vila se transformou num grande cortiço, e agora pouco lembra a sua antiga suntuosidade. Em 2010, após ser tombado pelo patrimônio histórico, 86 famílias que moravam na vila foram removidas. Planeja-se implantar ali um centro cultural, mas até agora não saiu do papel.

Na Rua Conselheiro Ramalho fica uma das casas noturnas mais famosas em São Paulo, o Madame Satã. Foi muito badalado na década de 1980, até  fechar as portas em 2007. Foi reaberto em 2012, com a promessa de voltar a agitar a noite paulistana.

Na Rua Conselheiro Ramalho funcionou uma das casas noturnas mais famosas em São Paulo, o Madame Satã.  Com sua atmosfera underground, foi muito badalado na década de 1980, até fechar as portas em 2007. Após uma reforma na casa de 1936, o clube foi reaberto em 2012, simplesmente como “Madame”, com a promessa de voltar a agitar a noite paulistana.

Uma das coisas que adoro no Bixiga são suas casas antigas. É um prazer quando vemos uma casinha bem conservada como esta!

Uma das coisas que adoro no Bixiga são suas casas antigas. É um prazer quando vemos uma construção do início do século XX tão bem conservada como esta!

O Bixiga não tem somente teatros grandiosos: uma das coisas mais legais são os teatros pequenos, alternativos, que estão espalhados no bairro, como o Teatro Ribalta, na Rua Conselheiro Ramalho.

O Bixiga não tem somente teatros grandiosos: uma das coisas mais legais são os pequenos teatros, uma espécie de Off-Broadway, que estão espalhados no bairro, como o Teatro Ribalta, na Rua Conselheiro Ramalho.

O Teatro Záccaro, na Rua Rui Barbosa. Inaugurado em 1940 como Cine Rex, um dos mais modernos na época. Funcionou até a década de 1970, passou alguns anos fechados, e reabriu na década de 1980 como um teatro, graças ao Maestro Zaccaro.

O Teatro Záccaro, na Rua Rui Barbosa. Inaugurado em 1940 como Cine Rex, um dos mais modernos na época. Funcionou até a década de 1970, passou alguns anos fechados, e reabriu na década de 1980 como um teatro, graças ao Maestro Zaccaro.

No Teatro Zaccaro foram gravados programas de televisão como o Zaccaro e Italianíssimo. Na década de 1980, Fausto Silva gravava ali o "Perdidos na noite", que ele comandou antes de ser contratado pela Rede Globo.

No Teatro Zaccaro, o maestro gravou seus programas de televisão “Zaccaro” e “Italianíssimo” durante 13 anos. Na década de 1980, Fausto Silva gravava ali o “Perdidos na noite”, que ele comandou antes de ser contratado pela Rede Globo. Chacrinha e Marília Gabriela também gravaram seus programas no espaço.

Diversas peças teatrais de sucesso, como "Trair e coçar, é só começar" foram encenadas no teatro. Eu assisti várias peças ali! No final da década de 1990, o teatro acabou fechando por dificuldades financeiras. Hoje, o teatro está abandonado, pichado e sua marquise serve de abrigo para mendigos e moradores de rua. Uma pena!

Diversas peças de sucesso, como “Trair e coçar, é só começar”, foram encenadas no teatro. Eu assisti várias peças ali! No final da década de 1990, o teatro acabou fechando por dificuldades financeiras. Hoje, está abandonado, pichado e sua marquise serve de abrigo para mendigos e moradores de rua. Uma pena que esse espaço tão importante para a cultura e história paulistana não esteja sendo utilizado como poderia!

Na Rua Rui Barbosa fica uma das cantinas mais famosas do Bixiga, a C Qui Sabe.

Na Rua Rui Barbosa fica uma das cantinas mais famosas do Bixiga, a C… Que Sabe.

Inaugurada em 1931 por imigrantes italianos, a cantina exibe fotos de sua clientela estrelada. A cantina possui decoração tipica do sul da Itália, e as paredes são cobertas com fotos de seus clientes estrelados. As refeições são uma grande festa, com música italiana e pratos caindo no chão!

Inaugurada em 1931 por imigrantes italianos, a  cantina possui decoração tipica do sul da Itália, e as paredes são cobertas com fotos de seus clientes estrelados. As refeições são uma grande festa, com música italiana e pratos caindo no chão!

Continuando na Rua Rui Barbosa, um dos teatros mais importantes da cidade: o Teatro Sérgio Cardoso, inaugurado em 1980. Suas duas salas tem exibido diversas peças teatrais de sucesso, com excelente infra-estrutura!

Continuando na Rua Rui Barbosa, um dos teatros mais importantes da cidade: o Teatro Sérgio Cardoso, inaugurado em 1980. Suas duas salas tem exibido diversas peças teatrais de sucesso, com excelente infra-estrutura! 

Na Rua São Vicente, fica a sede da Escola de Samba Vai-Vai, uma das mais tradicionais da cidade. Fundada em 1930, a agremiação já ganhou 14 títulos no Grupo Especial, e é a maior campeã do Carnaval paulistano.

Na Rua São Vicente, fica a sede da Escola de Samba Vai-Vai, uma das mais tradicionais da cidade. Fundada em 1930, a agremiação já ganhou 14 títulos no Grupo Especial, e é a maior campeã do Carnaval paulistano.

Até 1970, a agremiação não tinha sede própria, e realizava seus ensaios embaixo do Elevado Costa e Silva (o Minhocão). A mudança para a atual sede aconteceu em 1974, após serem despejados de uma pequena casa na Rua 14 de Julho. Na época dos ensaios carnavalescos, a quadra e até as ruas ficam repletas de foliões. A agremiação também realiza diversos projetos sociais.

Até 1970, a Vai-Vai não tinha sede própria, e realizava seus ensaios embaixo do Elevado Costa e Silva (o Minhocão). A mudança para a atual sede aconteceu em 1974, após serem despejados de uma pequena casa na Rua 14 de Julho. Na época dos ensaios de Carnaval, a quadra e até as ruas vizinhas ficam repletas de foliões. A agremiação também realiza diversos projetos sociais.

A Rua 13 de Maio, a via mais movimentada do Bixiga. Aqui estão localizadas diversas cantinas italianas, barzinhos, restaurantes e lojas.

A Rua 13 de Maio, a via mais movimentada do Bixiga. Aqui estão localizadas diversas cantinas italianas, barzinhos, restaurantes e lojas.

No seu trecho inicial, podemos encontrar diversos bares famosos, como o Café Piu-piu, Dimitri e o The Wall, que são especializados em covers de classic rock.

No seu trecho inicial, entre as Ruas Santo Amaro e Manoel Dutra, podemos encontrar diversos bares tradicionais do Bixiga, como o Café Piu-piu, Dimitri e o The Wall, todos especializados em covers de classic rock.

Na Rua 13 de Maio está a Paróquia Nossa Senhora Achiropita, fundada por imigrantes italianos em 1926.

Na Rua 13 de Maio está a bela Paróquia Nossa Senhora Achiropita, fundada por imigrantes italianos em 1926.

Nossa Senhora Achiropita, a padroeira da igreja, ganhou este nome graças aos calabreses. Diz a lenda que o Capitão Mauricio construiu uma capela para Maria, em gratidão por ter sido salvo de uma grande tempestade. Um pintor desenhava a imagem de Maria no santuário, mas à noite, a pintura simplesmente desaparecia.

Nossa Senhora Achiropita, a padroeira da igreja, ganhou este nome graças aos calabreses. Diz a lenda que o Capitão Mauricio construiu uma capela para Maria, em gratidão por ter sido salvo de uma grande tempestade. Um pintor desenhava a imagem de Maria no santuário durante o dia, mas à noite, a pintura simplesmente desaparecia. O artista, achando que alguem estaria fazendo uma brincadeira, colocou um vigilante na capela.

Certo dia, uma senhora com um bebê nos braços pediu para entrar no santuário. O guarda, não vendo perigo na mulher, os deixou entrar. Como não saíam de dentro da capela, ele foi verificar o que tinha acontecido. Foi aí que ele viu que a senhora tinha desaparecido, e a imagem dela com o menino estavam estampados na parede. Ele saiu correndo, gritando: Nossa Senhora Achiropita ("a-kirós-pita", ou não pintada por mãos humanas).

Certo dia, uma senhora com um bebê nos braços pediu para entrar no santuário. O vigilante, não vendo perigo na mulher, os deixou entrar. Como eles não saíam de dentro da capela, ele foi verificar o que tinha acontecido. Foi aí que ele viu que a senhora tinha desaparecido, e a imagem dela com o menino estavam estampados na parede. Ele saiu correndo, gritando: Nossa Senhora Achiropita! (“a-kirós-pita”, não pintada por mãos humanas).

Vitrais com as imagens de Nossa Senhora Achiropita e São Luis Orione, religioso genovense que veio para o Brasil em 1913, e  realizou diversas obras de caridade, construindo orfanatos, escolas, creches e lares para idosos.

Vitrais com as imagens de Nossa Senhora Achiropita e São Luis Orione, religioso genovense que veio para o Brasil em 1913, e que realizou diversas obras de caridade no país, participando da criação de orfanatos, escolas, creches e lares para idosos.

Próxima à Paróquia Nossa Senhora Achiropita, fica a Casa Dom Orione, fundada em 1994. A casa realiza os trabalhos assistenciais da paróquia, oferecendo abrigo e assistência a moradores de rua, que podem lavar suas roupas, se limpar, participar de oficinas artesanais e aulas diversas, além de receberem orientações para retornar ao mercado de trabalho.

Próxima à Paróquia Nossa Senhora Achiropita, fica a Casa Dom Orione, fundada em 1994. A casa realiza os trabalhos assistenciais da paróquia, oferecendo abrigo e assistência a cerca de 200 moradores de rua, que podem lavar suas roupas, se limpar e alimentar, e participar de atividades de lazer, oficinas artesanais e aulas diversas, além de receberem orientações para retornar ao mercado de trabalho.

É aqui na Rua 13 de Maio que acontece uma das festas mais famosas de São Paulo: a tradicional festa de Nossa Senhora de Achiropita, no mês de agosto.

É aqui na Rua 13 de Maio que acontece uma das festas mais famosas de São Paulo: a tradicional festa de Nossa Senhora de Achiropita, que acontece nos finais de semana do mês de agosto. Toda a renda da festa é revertida para os trabalhos assistenciais da paróquia.

Mais de 950 voluntários se juntam para oferecer boa comida italiana para as cerca de 250.000 pessoas que vem à festa. As barracas são montadas nas ruas 13 de Maio, São Vicente e Doutor Luiz Barreto. Os organizadores garantem que são consumidas cerca de 12.000 fogazzas em uma única noite!

Mais de 950 voluntários se juntam para oferecer boa comida italiana para as cerca de 250.000 pessoas que vem à festa. As barracas são montadas nas ruas 13 de Maio, São Vicente e Doutor Luiz Barreto. Os organizadores garantem que são consumidas cerca de 12.000 fogazzas em uma única noite!

O Bixiga é considerado o bairro das cantinas italianas. A Rua 13 de Maio tem diversas opções tentadoras, e a Cantina L´Italiano é uma delas!

O Bixiga é considerado o bairro das cantinas italianas. A Rua 13 de Maio tem diversas opções tentadoras, e a Cantina L´Italiano é uma delas!

Além da comida deliciosa, a cantina tem uma equipe muito simpática e atenciosa! Nossos  sinceros agradecimentos!

Além das deliciosas massas, a cantina tem uma equipe muito atenciosa! Nossos sinceros agradecimentos pela simpática recepção, Angelita!

Um belo casarão antigo na esquina das ruas 13 de Maio e Conselheiro Carrão.

Um belo casarão antigo na esquina das ruas 13 de Maio e Conselheiro Carrão. Eu sinceramente espero que essas adoráveis construções antigas sobrevivam – elas dão um charme todo especial ao Bixiga!

Quase na esquina das ruas 13 de Maio e Conselheiro Carrão fica a Cantina Capuano, a mais antiga de São Paulo. Inaugurada em 1907, entre as deliciosas massas, o destaque fica com o fusilli ao sugo.

Quase na esquina das ruas 13 de Maio e Conselheiro Carrão fica a Cantina Capuano, a mais antiga de São Paulo. Inaugurada em 1907, entre as deliciosas massas, o destaque fica com o fusilli ao sugo.

Ainda na Rua Conselheiro Carrão, está a Taberna do Julio. Inaugurada em 1966, o destaque fica com o rodízio de massas, que incluem 7 variedades simples e recheadas, além de vários tipos de molhos.

Ainda na Rua Conselheiro Carrão, está a Taberna do Julio. Inaugurada em 1966, o destaque fica com o rodízio de massas, que incluem 7 variedades simples e recheadas, além de vários tipos de molhos.

De volta à Rua 13 de Maio, fica a Conchetta, que oferece o mais tradicional rodízio de massas de São Paulo. Por um preço justo, são oferecidos antepastos, massas e molhos diversos, pão italiano, porpetas, polenta e frango!

De volta à Rua 13 de Maio, encontramos a Conchetta, que oferece o mais tradicional rodízio de massas de São Paulo. Por um preço justo, são oferecidos antepastos, massas e molhos diversos, pão italiano, porpetas, polenta e frango. E o atendimento é de primeira!

O Conchetta é uma das cantinas do "Seu" Walter Taverna, verdadeira instituição do Bixiga. Nascido e criado no Bixiga, seu Walter faz as refeições no Conchetta uma verdadeira festa: ao som de "Funiculi, funicula", ele atira pratos no chão e usa tampas de panela como pratos musicais.

O Conchetta é uma das cantinas do “Seo” Walter Taverna, verdadeira instituição do Bixiga. Nascido e criado no Bixiga, ele faz as refeições no Conchetta uma verdadeira festa: ao som de “Funiculi, funicula”, ele atira pratos no chão e usa tampas de panela como pratos musicais.

Seu Walter se auto-intitula o primeiro ministro da República do Bixiga. O simpático neto de sicilianos, que trabalha desde os 6 anos de idade, está sempre criando eventos para atrair mais frequentadores para o bairro. Seu Walter foi o responsável pelo formato atual da Festa de Nossa Senhora de Achiropita.  Ele também é o criador do maior bolo de aniversário de São Paulo, de 1,5 km, a pizza de 554 m de comprimento, e o maior sanduíche de mortadela, de 600 m - todos foram incluídos no Guiness Book, o livro dos recordes!

O simpático neto de sicilianos está sempre criando eventos para promover o bairro: Seo Walter é o responsável pelo formato atual da Festa de Nossa Senhora de Achiropita. Ele também é o criador do maior bolo de aniversário de São Paulo, de 1,5 km, a maior pizza, de 554 m de comprimento, e o maior sanduíche de mortadela, de 600 m – todos foram incluídos no Guiness Book, o livro dos recordes!

Seu Walter se auto-intitula o primeiro ministro da República do Bixiga. Trabalha desde os 6 anos de idade, e continua incansável. Após diversas tragédias familiares, seu médico recomendou que se ocupasse com mais trabalho. Seu Walter tem levado os conselhos médicos ao pé da letra!

Seo Walter se auto-intitula o primeiro ministro da República do Bixiga. Trabalha desde os 6 anos de idade, e continua incansável. Após diversas tragédias familiares, seu médico recomendou que se ocupasse com mais trabalho, e ele tem levado os conselhos médicos ao pé da letra! Ele é presidente e fundador da Sociedade de Defesa das Tradições e Progresso da Bela Vista, que é responsável, entre outras coisas, pelo Centro de Memória do Bixiga.

Seu Walter em ação!

Seu Walter em ação!

Em frente ao Conchetta fica a bela casa da década de 1930, sede do Centro de Memória do Bixiga. Inaugurado em 2007 por Seo Walter Taverna, o seu acervo consiste em fotos, artigos e documentos sobre o Bixiga.

Em frente ao Conchetta fica a bela casa da década de 1930, sede do Centro de Memória do Bixiga. Inaugurado em 2007 por Seo Walter Taverna, o seu acervo consiste em fotos, artigos e documentos que visam preservar as memórias do Bixiga.

Mais uma padaria tradicional do Bixiga, o Basilicata, inaugurado em 1914.  Como toda padaria italiana que se preze, vende pães, massas, antepastos, doces, queijos e vinhos diversos.

Mais uma padaria tradicional do Bixiga, o Basilicata, inaugurado em 1914. Como toda padaria italiana que se preze, vende pães, massas, antepastos, doces, queijos e vinhos diversos.

Que tal um pouco de provolone???

Que tal um pedacinho de provolone???

A Cantina Bixiga Amore Mio, uma extensão do Conchetta. Ela faz alusão ao hino escrito por Seo Walter Taverna, "Bixiga Amore Mio", em homenagem ao seu bairro.

A Cantina Bixiga Amore Mio, uma extensão do Conchetta. Ela faz alusão ao hino escrito por Seo Walter Taverna, “Bixiga Amore Mio”, em homenagem ao seu bairro.

No meio das cantinas italianas, fica o Mexilhão, tradicional restaurante pioneiro em oferecer deliciosos pratos de peixes e frutos do mar.

No meio das cantinas italianas, fica o Mexilhão, restaurante pioneiro em oferecer deliciosos pratos de peixes e frutos do mar em São Paulo.

A Cantina Roperto, inaugurada em 1942. Uma de suas especialidades é a perna de cabrito.

A Cantina Roperto, inaugurada em 1942. Uma de suas especialidades é a perna de cabrito.

Um adorável sobrado antigo, em ótimo estado de conservação!

Um adorável sobrado antigo, em ótimo estado de conservação! Adoro os  detalhes e capricho que eram utilizados nessas casas antigas!

Outro lindo casarão do início do século XX.

Outro lindo casarão do início do século XX.

Na Rua 13 de Maio podemos encontrar ótimos antiquários, como a Trekos e Cacarecos e a Velhiquário, que oferecem belos móveis e objetos antigos.

Na Rua 13 de Maio e vias próximas podemos encontrar ótimos antiquários, como a Trekos e Cacarecos, que oferece belíssimos móveis e objetos antigos, com um atendimento de primeira! Esse belo casarão do início do século XX abriga a Velhiquário, outra boa loja do Bixiga.

O Bixiga tem diversos antiquários, onde podemos encontrar móveis e itens decorativos incríveis. O Espaço Antigo, na Rua 13 de Maio, tem artigos maravilhosos, e um atendimento muito simpático. Adoramos!

O Espaço Antigo é um dos melhores antiquários do bairro. Lá podemos encontrar coisas belíssimas, como quadros e obras de arte, móveis e artigos de decoração – e o atendimento é excelente. Adoramos!

A escadaria do Bixiga, que liga a Rua 13 de Maio à Rua dos Ingleses. O local já fez parte de diversas novelas, filmes e peças publicitárias. Pena que isso não tenha comovido os vândalos, já que ela está coberta por pichações! Uma vergonha!

A escadaria do Bixiga, que liga a Rua 13 de Maio à Rua dos Ingleses. O local já fez parte de diversas novelas, filmes e peças publicitárias. Pena que isso não tenha comovido os vândalos, já que ela está coberta por pichações! Uma vergonha!

O Villa Tavola, inaugurado em 1963. O complexo, que reúne um bar, restaurante com diversos ambientes e loja, está aberto 24 horas.

O Villa Tavola, inaugurado em 1963. O complexo, que reúne um bar, restaurante com diversos ambientes e loja, está aberto 24 horas. Lá também podemos encontrar o Museu da Culinária e Cultura Italiana.

A Praça Dom Orione, que abriga uma feira de antiguidades aos domingos - eles já estavam preparando as barraquinhas! A  feira acontece das 8h às 18h, e lá podemos encontrar de tudo um pouco: de discos de vinil a artigos de brechós.

A Praça Dom Orione, que abriga uma feira de antiguidades aos domingos – eles já estavam preparando as barraquinhas! A feira acontece das 8h às 18h, e lá podemos encontrar de tudo um pouco: de discos de vinil a artigos de brechós.

Na Praça Dom Orione podemos encontrar obras de arte, como esse busto em homenagem a Adoniran Barbosa, executado por Luis Morrone. Lamentavelmente, a obra foi emporcalhada com pichações - até quando esse tipo de vandalismo será tolerado pelo poder público?

Na Praça Dom Orione podemos encontrar obras de arte, como esse busto em homenagem a Adoniran Barbosa, executado por Luis Morrone. Essa foi mais uma iniciativa de Seo Walter Taverna, que era muito amigo de Adoniran. Lamentavelmente, a obra foi emporcalhada com pichações – até quando esse tipo de vandalismo será tolerado pelo poder público?

Não foi a primeira vez que o busto de Adoniran sofreu nas mãos de marginais.

Mas essa não foi a primeira vez que o busto de Adoniran sofreu nas mãos de marginais: dias depois de ser inaugurado, ele foi roubado. Seo Walter saiu a procura da obra, e tanto fez que encontrou a peça num ferro-velho no Brás. Quando disse ao sucateiro que iria denunciá-lo à polícia, ele lhe devolveu a obra, que voltou à praça.

O busto em homenagem a Dom Luis Orione, que também foi feito por Luis Morrone, não teve melhor sorte: ele também está coberto de pichações. Isso ocorre na cidade mais rica do Brasil - que imagem nós transmitimos, quando permitimos esse tipo de coisa?

O busto em homenagem a Dom Luis Orione, que também foi feito por Luis Morrone, não teve melhor sorte: ele também está coberto de pichações. Isso ocorre na cidade mais rica do Brasil – isso é vergonhoso!

A conservação da praça como um todo deixa a desejar: olha o estado lamentável do coreto! Simplesmente lamentável!

A conservação da praça como um todo deixa a desejar: olha o estado lamentável do coreto! Simplesmente inaceitável!

Agora vamos subir a escadaria do Bixiga, construída na década de 1930. Com 84 degraus e 16 m de altura, a escadaria unia a parte alta, repleta de palacetes, com a parte baixa do Bixiga, com suas casas populares.

Agora vamos subir a escadaria do Bixiga, construída na década de 1930. Com 84 degraus e 16 m de altura, a escadaria unia a parte alta, repleta de palacetes, com a parte baixa do Bixiga, com suas casas populares.

A Praça Dom Orione, vista do alto da escadaria do Bixiga. Quando ela foi construída, ainda era possível se avistar o centro da cidade de lá.

A Praça Dom Orione, vista do alto da escadaria do Bixiga. Quando ela foi construída, ainda era possível se avistar o centro da cidade de lá.

A Rua dos Ingleses, que fica na parte alta do Bixiga. A via tem diversos edifícios residenciais de alto padrão, e belos palacetes antigos.

A Rua dos Ingleses, que fica na parte alta do Bixiga. A via tem diversos edifícios residenciais de alto padrão, e belos palacetes antigos. Daqui, podemos avistar as antenas da Avenida Paulista.

Na Rua dos Ingleses encontramos o Teatro Ruth Escobar, inaugurado em 1963.

Na Rua dos Ingleses encontramos o Teatro Ruth Escobar, inaugurado em 1963.

A Rua dos Ingleses está repleta de belas casas do início do século XX. Este belo casarão tombado pelo patrimônio histórico abriga o Espaço Cultural Boa Nova, que oferece palestras, exposições, cursos e livros espíritas.

A Rua dos Ingleses está repleta de belas casas do início do século XX. Este belo casarão tombado pelo patrimônio histórico abriga o Espaço Cultural Boa Nova, que oferece palestras, exposições, cursos e livros espíritas.

Este belo casarão abriga o Museu Memória do Bixiga. Inaugurado em 1980 por Armando Puglisi, amigo de infância de Walter Taverna, o museu tem itens como máquinas de fazer macarrão, antigas garrafas de leite, capacetes e armas da Revolução de 1932 e fotos, entre outros itens que se referem à história do Bixiga. Na ocasião de nossa visita, o museu estava fechado para reforma.

Este belo casarão abriga o Museu Memória do Bixiga. Inaugurado em 1980 por Armando Puglisi, amigo de infância de Walter Taverna, o museu tem itens como máquinas de fazer macarrão, antigas garrafas de leite, capacetes e armas da Revolução de 1932 e fotos, entre outros itens que se referem à história do Bixiga. Na ocasião de nossa visita, o museu estava fechado para reforma.

Olha os detalhes em alto-relevo dessa casa!

Olha os detalhes em baixo-relevo na fachada dessa casa!

Essa casinha, com paredes que lembram galhos de árvore, é muito interessante!

Essa casinha, com paredes que lembram galhos de árvore, parece saída de um conto de fadas!

O magnífico casarão da década de 1920,  que abriga o Museu dos Óculos Gioconda Giannini, o único de seu gênero na América Latina.

O magnífico casarão da década de 1920, que abriga o Museu dos Óculos Gioconda Giannini, o único de seu gênero no continente  americano.

O museu, inaugurado em 1996, tem em seu acervo a coleção particular do esteta óptico Miguel Gianinni. O museu conta com cerca de 700 itens, com peças que foram utilizadas por celebridades como Jô Soares, Rita Lee e Elis Regina.

O museu, inaugurado em 1996, tem em seu acervo a coleção particular do esteta óptico Miguel Gianinni, além de aquisições feitas em leilões, antiquários e doações. O museu Gioconda Gianinni,uma homenagem à mãe do proprietário, conta com cerca de 700 itens, com peças que foram utilizadas por personalidades como Santos Dumont, Jô Soares, Rita Lee e Elis Regina.

Com a vista da escadaria do Bixiga, fechamos o post de hoje. Gostaram? Não deixe de visitar esse pedacinho da Itália em São Paulo! Até o próximo passeio!

Gostaram? Com a vista da escadaria do Bixiga, fechamos o post de hoje. Não deixe de visitar esse pedacinho da Itália em São Paulo! Até o próximo passeio!

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

4 comments to Bixiga em Foco

  • maillot griezmann france  says:

    Greetings! Really beneficial guidance on this informative article!

    • Mina  says:

      Glad to know you´ve enjoyed our post! Greetings from Brazil

  • ANDRÉ LUIZ DE OLIVEIRA  says:

    Poxa, que legal!!
    Sou paulistano, porém não sabia de detalhes tantos lugares históricos da minha São Paulo.
    Deu até vontade de sair por aí para ver tudo isso pessoalmente.
    PARABÉNS, MINA!

    • Mina  says:

      Muito obrigada, André! Fico muito feliz que tenha curtido nosso blog, e que ele tenha te inspirado a conhecer mais recantos de nossa querida cidade! Um grande abraço

Deixe um comentário

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam