Instituto Butantan Em Foco

DSC08887

Ainda me lembro de meus tempos de criança, quando fui visitar o Instituto Butantan com meus pais, tios e primas. Sempre tive um misto de medo e fascinação por serpentes – talvez por eu ser serpente no horóscopo chinês? E poder vê-las tão de perto foi inesquecível. Nunca me esqueço de nossa visita ao museu, com vários exemplares de cobras, aranhas e escorpiões, e fotos e objetos que ilustravam as consequências de picadas de animais peçonhentos – havia inclusive um pé decepado, com uma picada de cobra, conservado em formol. Mais educativo, impossível!!! 

O Instituto Butantan é um dos maiores e mais importantes centros de pesquisa biomédica do mundo. Apesar de ser conhecido por sua excelência na produção de soros anti-ofídicos, o local não se limita ao estudo de animais peçonhentos: mais de 93% das vacinas produzidas no Brasil, como a vacina contra tétano, coqueluche, difteria, hepatite B, entre outros, são de responsabilidade do renomado instituto. Ele foi criado em 1899, quando um surto de peste bubônica se espalhava na região do Porto de Santos. Receoso de que a epidemia atingisse a capital do estado, o governo desapropriou a Fazenda Butantan, para ali instalar um laboratório de produção de soro contra a doença. Em 1901, o laboratório foi transformado em instituição autônoma, com o nome de Instituto Serumtherápico, sob o comando do médico mineiro Vital Brazil. Ele foi um pioneiro no campo dos estudos sobre o ofidismo, e sua fama viajou pelo mundo. Graças a sua dedicação à produção de soros e vacinas, além das diversas pesquisas realizadas na área de saúde, o instituto, agora chamado Instituto Butantan, se tornou reconhecido mundialmente. Hoje, apenas 1/5 da área original da Fazenda Butantan pertence ao Instituto, já que a área restante foi cedida para a construção da Cidade Universitária da USP.

 

Mas o Instituto Butantan não é somente um laboratório de pesquisas. Ele está localizado num belíssimo parque de 80 hectares, que atrai milhares de visitantes. Andar pelas alamedas arborizadas da antiga Fazenda Butantan é uma delícia! No seu interior, há 3 museus que podem ser visitados de terça a domingo, das 9:00 às 16:30, mediante o pagamento de um único ingresso de R$ 6,00. E não deixe de visitar sua atração principal: os serpentários! Lá podemos ver várias cobras em suas casinhas, que procuram simular seu habitat natural. No dia de nossa visita, várias delas estavam se exibindo para nós – acho que elas queriam aparecer no blog! O instituto também oferece a atividade “Mão na cobra só no Butantan”, nas quintas-feiras, das 14:30 às 15:30. É uma verdadeira aula de educação ambiental, onde os visitantes podem até tocar os bichinhos – a garotada adora! O instituto conta ainda com um hospital, um centro cultural, biblioteca, lanchonete, sanitários e estacionamento. Fica na Avenida Vital Brazil, 1500, na zona oeste de São Paulo. Várias linhas de ônibus passam na avenida, e a Estação Butantã do metrô fica pertinho (linha amarela).

 

O Instituto Butantan é um programa imperdível, para pessoas de todas as idades. Desmitificar cobras e animais peçonhentos, anos e anos antes da existência de canais de TV a cabo como a Discovery e Animal Planet, não é para qualquer um! Não vou dizer que perdi totalmente o meu medo de cobras – nesse ponto, junto-me a Indiana Jones! Mas elas ganharam o meu respeito, e pude aprender que esses fascinantes animais tem o seu lugar e função na natureza e, como tal, devem ser compreendidas e não vilanizadas. E o Instituto Butantan foi um dos grandes responsáveis por esse aprendizado. Nesses tempos de maior conscientização ecológica, visitar o Butantan é quase que uma obrigação cívica!

A entrada do Instituto Butantan, no final da Avenida Vital Brazil

A entrada do Instituto Butantan, no final da Avenida Vital Brazil

O Instituto Butantan foi construído dentro da antiga Fazenda Butantan, que foi desapropriada em 1899.

O Instituto Butantan foi construído dentro da antiga Fazenda Butantan, que foi desapropriada em 1899.

A fazenda foi o local escolhido por Adolpho Lutz, Vital Brazil e Oswaldo Cruz para abrigar um laboratório de produção de soro contra a Peste Bubônica, que assolava a região do Porto de Santos no final do século XIX.

A fazenda foi o local escolhido por Adolpho Lutz, Vital Brazil e Oswaldo Cruz para abrigar um laboratório de produção de soro contra a Peste Bubônica, que assolava a região do Porto de Santos no final do século XIX.

A alameda de entrada é ladeada por uma bela floresta, remanescente da antiga fazenda.

A alameda de entrada é ladeada por uma bela floresta, remanescente da antiga fazenda.

Do lado direito da alameda fica o Horto Oswaldo Cruz, uma área verde de 40.000 m², criada para o cultivo e estudo de plantas medicinais. Também abriga laboratórios de pesquisas biológicas e zoológicas.

Do lado direito da alameda fica o Horto Oswaldo Cruz, uma área verde de 40.000 m², criada para o cultivo e estudo de plantas medicinais. Também abriga laboratórios de pesquisas biológicas e zoológicas.

O horto foi inaugurado em 1918, e sua área original era de 150.000 m². Hoje a área também abriga o Núcleo Ambiental Terra Firme, sede administrativa do Museu Biológico, que promove diversas atividades de educação ambiental para escolas e educadores.

O horto foi inaugurado em 1918, e sua área original era de 150.000 m². Hoje a área também abriga o Núcleo Ambiental Terra Firme, sede administrativa do Museu Biológico, que promove diversas atividades de educação ambiental para escolas e educadores.

O nome do horto é uma homenagem ao médico Oswaldo Cruz. Ele e Vital Brazil foram responsáveis por conseguir diagnosticar e controlar o surto de Peste Bubônica em Santos, no início do século XX.

O nome do horto é uma homenagem ao médico Oswaldo Cruz. Ele e Vital Brazil foram responsáveis por conseguir diagnosticar e controlar o surto de Peste Bubônica em Santos, no início do século XX.

Após subirmos a alameda de entrada, chegamos a área de acesso ao estacionamento e outras atrações do instituto.

Após subirmos a alameda de entrada, chegamos a área de acesso ao estacionamento e outras atrações do instituto.

Esse quiosque, construído na década de 1920, era originalmente um mostruário de serpentes. Construído em madeira, com telhado de ardósia e piso em ladrilho alemão, o quiosque fazia parte de um conjunto de três, que simulavam os antigos coretos do interior de São Paulo.

Esse quiosque, construído na década de 1920, era originalmente um mostruário de serpentes. Construído em madeira, com telhado de ardósia e piso em ladrilho alemão, o quiosque fazia parte de um conjunto de três, que simulavam os antigos coretos do interior de São Paulo.

Este é o único quiosque que sobreviveu às inúmeras reformas realizadas no instituto. Já chegou a abrigar exposições temporárias, e hoje abriga a bilheteria.

Este é o único quiosque que sobreviveu às inúmeras reformas realizadas no instituto. Já chegou a abrigar exposições temporárias, e hoje abriga a bilheteria.

Algumas informações da bilheteria: com um único ingresso, o visitante tem acesso aos três museus do instituto.

Algumas informações da bilheteria: com um único ingresso, o visitante tem acesso aos três museus do instituto.

No fim dessa alameda, fica o estacionamento de visitantes.

No fim dessa alameda, fica o estacionamento de visitantes.

O Museu Biológico, o primeiro museu do Instituto Butantan. É um dos únicos museus do mundo a apresentar uma exposição viva e permanente, com diversas serpentes, aranhas, escorpiões e iguanas.

O Museu Biológico, o primeiro museu do Instituto Butantan. É um dos únicos museus do mundo a apresentar uma exposição viva e permanente, com diversas serpentes, aranhas, escorpiões e iguanas.

O museu conta inclusive com um berçário, onde os visitantes podem ver filhotes ali concebidos. O seu rico acervo começou a ser compilado por Vital Brazil, no início do século XX.

O museu conta inclusive com um berçário, onde os visitantes podem ver filhotes ali concebidos. O seu rico acervo começou a ser compilado por Vital Brazil, no início do século XX.

Ao lado do Museu Biológico podemos encontrar uma lanchonete, sanitários e fraldário. É legal que até os jardins do instituto estão decorados a caráter!

Ao lado do Museu Biológico podemos encontrar uma lanchonete, sanitários e fraldário. É legal que até os jardins do instituto estão decorados a caráter!

A Rua Emilio Ribas, em homenagem ao renomado médico e sanitarista, um dos fundadores do instituto e um dos grandes estudiosos da Febre Amarela. No fim da rua, fica o Complexo Bioindustrial do instituto, responsável pela produção de vacinas e soros.

A Rua Emilio Ribas, em homenagem ao renomado médico e sanitarista, um dos fundadores do instituto e um dos grandes estudiosos da Febre Amarela. No fim da rua, fica o Complexo Bioindustrial do instituto, responsável pela produção de vacinas e soros.

O belo Pavilhão Lemes Monteiro. O prédio foi inaugurado em 1919, para abrigar a Escola de Veterinária, que hoje se encontra na Cidade Universitária.

O belo Pavilhão Lemes Monteiro. O prédio foi inaugurado em 1919, para abrigar a Escola de Veterinária, que hoje se encontra na Cidade Universitária.

Isso explica a presença de diversos animais na decoração das floreiras nas escadas. Com a saída da Escola de Veterinária, o edifício passou a ser utilizado como a residência do diretor do instituto, Vital Brazil.

Isso explica a presença de diversos animais na decoração das floreiras nas escadas. Com a saída da Escola de Veterinária, o edifício passou a ser utilizado como a residência do diretor do instituto, Vital Brazil.

Atualmente o prédio é ocupado pelo Centro de Pesquisa e Formação em Imunologia Otto Guilherme Bier e outras unidades do instituto.

Atualmente o prédio é ocupado pelo Centro de Pesquisa e Formação em Imunologia Otto Guilherme Bier e outras unidades do instituto.

O prédio de Parasitologia e Entomologia, com seus ornamentos em forma de cavalos e vacas.

O prédio de Parasitologia e Entomologia, com seus ornamentos em forma de cavalos e vacas.

Esse belo edifício abrigava um estábulo. As unidades de Parasitologia e Entomologia realizam diversas pesquisas importantes em prol da saúde pública.

Esse belo edifício abrigava um estábulo. As unidades de Parasitologia e Entomologia realizam diversas pesquisas importantes em prol da saúde pública.

O macacário, que abriga macacos da espécie Rhesus, para fins de pesquisa. O instituto conta também com criações de camundongos, ratos, cobaias, coelhos e hamsters, que são utilizados em pesquisas, controle de imunobiológicos e alimentação de serpentes.

O macacário, que abriga macacos da espécie Rhesus, para fins de pesquisa. O instituto conta também com criações de camundongos, ratos, cobaias, coelhos e hamsters, que são utilizados em pesquisas, controle de imunobiológicos e alimentação de serpentes.

Um belo ipê roxo totalmente florido!

Um belo ipê roxo totalmente florido!

As belas alamedas do instituto.

As belas alamedas do instituto.

Um coqueiro repleto de frutos.

Um coqueiro repleto de frutos.

E olha quem estava se deliciando no meio dos coquinhos!

E olha quem estava se deliciando no meio dos coquinhos!

O Centro de Difusão Científica, que dispõe de duas áreas de exposições, lanchonete, livraria e uma sala de cinema com 80 lugares, onde são exibidos filmes de cunho científico.

O Centro de Difusão Científica, que dispõe de duas áreas de exposições, lanchonete, livraria e uma sala de cinema com 80 lugares, onde são exibidos filmes de cunho científico.

O belo edifício foi construído na década de 1930, e era originalmente uma serralheria e marcenaria. O conjunto agora abriga exposições e acervos culturais científicos.

O belo edifício foi construído na década de 1930, e era originalmente uma serralheria e marcenaria. O conjunto agora abriga exposições e acervos culturais científicos.

A parte inferior do Centro de Difusão Científica

A parte inferior do Centro de Difusão Científica

Gostaram do meu cocar? Os jardins do Centro Cultural. Na parte de trás, ficam o centro de recepção de animais peçonhentos, a administração do instituto e o centro de Biotecnologia.

Gostaram do meu cocar? Os jardins do Centro Cultural. Na parte de trás, ficam o centro de recepção de animais peçonhentos, a administração do instituto e o centro de Biotecnologia.

A Praça Vital Brazil, toda decorada com o mosaico "Fragmentos e Sentimentos".

A Praça Vital Brazil, toda decorada com o mosaico “Fragmentos e Sentimentos”.

A obra de 98 m² foi executada por 150 artistas voluntários, e levou 2 anos para ser concluída.

A obra de 98 m² foi executada por 150 artistas voluntários, e levou 2 anos para ser concluída.

O mosaico foi feito com pedaços de cerâmica de 22 cores, e tem figuras de serpentes, aranhas, lagartos e outros animais.

O mosaico foi feito com pedaços de cerâmica de 22 cores, e tem figuras de serpentes, aranhas, lagartos e outros animais.

O mosaico foi inaugurado em 2008, em comemoração aos 107 anos de fundação do instituto.

O mosaico foi inaugurado em 2008, em comemoração aos 107 anos de fundação do instituto.

O Museu Histórico, que tem como objetivo preservar a história das ciências e da saúde.

O Museu Histórico, que tem como objetivo preservar a história das ciências e da saúde.

Um antigo extintor de incêndio dentro do Museu Histórico. O museu, que foi criado em 1981, foi instalado no local onde Vital Brazil instalou seu primeiro laboratório, uma cocheira adaptada.

Um antigo extintor de incêndio dentro do Museu Histórico. O museu, que foi criado em 1981, foi instalado no local onde Vital Brazil instalou seu primeiro laboratório, uma cocheira adaptada.

Uma prensa antiga. Nessa cocheira adaptada para receber um laboratório, Vital Brazil desenvolveu as primeiras ampolas de soro contra a peste bubônica.

Uma prensa antiga. Nessa cocheira adaptada para receber um laboratório, Vital Brazil desenvolveu as primeiras ampolas de soro contra a peste bubônica.

Um dos prédios do Hospital Vital Brazil, com o Museu Histórico ao fundo.

Um dos prédios do Hospital Vital Brazil, com o Museu Histórico ao fundo.

Um campo, utilizado como heliponto, em frente ao Hospital Vital Brazil, especializado no tratamento de acidentes causados por animais peçonhentos.

Um campo, utilizado como heliporto, em frente ao Hospital Vital Brazil, especializado no tratamento de acidentes causados por animais peçonhentos.

Flores no coqueiro

Flores no coqueiro

O hospital foi fundado em 1945, e oferece assistência médica gratuita e orientação telefônica 24 horas por dia, além de também desenvolver trabalhos de pesquisa.

O hospital foi fundado em 1945, e oferece assistência médica gratuita e orientação telefônica 24 horas por dia, além de também desenvolver trabalhos de pesquisa.

As alamedas ainda mantem muito da atmosfera da antiga Fazenda Butantan.

As alamedas ainda mantem muito da atmosfera da antiga Fazenda Butantan.

Ao fundo ficam a Casa Vital Brazil e o Departamento de Herpetologia e Artrópodes.

Ao fundo ficam a Casa Vital Brazil e o Departamento de Herpetologia e Artrópodes.

A antiga sede da Fazenda Butantan, que agora abriga o Departamento de Herpetologia.

A antiga sede da Fazenda Butantan, que agora abriga o Departamento de Herpetologia.

A bela pracinha perto do prédio da Diretoria do Instituto.

A bela pracinha perto do prédio da Diretoria do Instituto.

A casa construída em 1931, para servir de residência para o diretor do instituto. Hoje, abriga a Diretoria Técnica do Instituto Butantan.

A casa construída em 1931, para servir de residência para o diretor do instituto. Hoje, abriga a Diretoria Técnica do Instituto Butantan.

O parque do Instituto Butantan tem cerca de 80 hectares de muito verde. Hoje, o instituto tem cerca de 1/5 da área original da Fazenda Butantan, já que o restante do terreno foi ocupado pela Cidade Universitária da USP.

O parque do Instituto Butantan tem cerca de 80 hectares de muito verde. Hoje, o instituto tem cerca de 1/5 da área original da Fazenda Butantan, já que o restante do terreno foi ocupado pela Cidade Universitária da USP.

Um exemplar de pau-brasil

Um exemplar de pau-brasil

A bela floresta remanescente da antiga Fazenda Butantan

A bela floresta remanescente da antiga Fazenda Butantan

Em 2010, um incêndio destruiu o Prédio das Coleções, que continha o maior acervo de cobras, aranhas e escorpiões para pesquisa no Brasil, e um dos mais importantes do mundo. Esse acervo, iniciado por Vital Brazil, e enriquecido ao longo de mais de 100 anos, incluía 85.000 cobras e 450.000 aranhas e escorpiões.

Em 2010, um incêndio destruiu o Prédio das Coleções, que continha o maior acervo de cobras, aranhas e escorpiões para pesquisa no Brasil, e um dos mais importantes do mundo. Esse acervo, iniciado por Vital Brazil, e enriquecido ao longo de mais de 100 anos, incluía 85.000 cobras e 450.000 aranhas e escorpiões.

Apesar da perda incalculável, o Prédio das Coleções começou a ser reconstruído, e segundo o projeto, terá 2 andares e uma área total de 1.600 m².

Apesar da perda incalculável, o Prédio das Coleções começou a ser reconstruído, e segundo o projeto, terá 2 andares e uma área total de 1.600 m².

O museu de rua, com seus interessantes painéis que relatam a história do instituto ao longo dos anos.

O museu de rua, com seus interessantes painéis que relatam a história do instituto ao longo dos anos.

Os painéis, com textos em português e inglês, ilustram com diversas fotos a evolução do Instituto Butantan desde a sua fundação.

Os painéis, com textos em português e inglês, ilustram com diversas fotos a evolução do Instituto Butantan desde a sua fundação.

Homenagem ao médico mineiro Vital Brazil, pioneiro nos estudos sobre ofidismo, e primeiro diretor do Instituto Butantan.

Homenagem ao médico mineiro Vital Brazil, pioneiro nos estudos sobre ofidismo, e primeiro diretor do Instituto Butantan.

Graças ao empenho de Vital Brazil na produção de soros e na pesquisa sobre ofidismo, até então um campo pouquíssimo conhecido, o Instituto Butantan ganhou reconhecimento internacional.

Graças ao empenho de Vital Brazil na produção de soros e na pesquisa sobre ofidismo, até então um campo pouquíssimo conhecido, o Instituto Butantan ganhou reconhecimento internacional.

O belo edifício chamado de "Prédio Novo", construído na década de 1940, atualmente ocupado pela Divisão de Microbiologia e Imunologia.

O belo edifício chamado de “Prédio Novo”, construído na década de 1940, atualmente ocupado pela Divisão de Microbiologia e Imunologia.

Ao fundo, temos o Museu de Microbiologia

Ao fundo, temos o Museu de Microbiologia

O museu, inaugurado em 2002, tem muitas atrações bacanas, como a visualização de protozoários e células sanguíneas através de lentes de um microscópio profissional.

O museu, inaugurado em 2002, tem muitas atrações bacanas, como a visualização de protozoários e células sanguíneas através de lentes de um microscópio profissional.

Uma das agradáveis pracinhas dentro do instituto.

Uma das agradáveis pracinhas dentro do instituto.

Monumento em homenagem aos 100 anos do bairro do Butantan.

Monumento em homenagem aos 100 anos do bairro do Butantan.

Butantan em tupi significa "terra dura dura". Apesar do bairro ser grafado com til na sílaba final (Butantã), devido à reforma ortográfica, o Instituto continua usando sua grafia original, "Butatan".

Butantan em tupi significa “terra dura dura”. Apesar do bairro ser grafado com til na sílaba final (Butantã), devido à reforma ortográfica, o Instituto continua usando sua grafia original, “Butantan”.

Construído em 1901, esse conjunto de edifícios atualmente abriga o departamento de vacina BCG.

Construído em 1901, esse conjunto de edifícios atualmente abriga o departamento de vacina BCG.

Gostei dessa porta com olhos!

Gostei dessa porta com olhos!

O terrário, que costumava abrigar algumas cobras e jabutis. Não encontramos nenhum bicho por lá, creio que ele foi desativado, com a reforma dos serpentários.

O terrário, que costumava abrigar algumas cobras e jabutis. Não encontramos nenhum bicho por lá, creio que ele foi desativado, com a reforma dos serpentários.

A passarela sobre o terrário e uma antiga casinha para cobras.

A passarela sobre o terrário e uma antiga casinha para cobras.

Lá embaixo está o Horto Oswaldo Cruz.

Lá embaixo está o Horto Oswaldo Cruz.

O primeiro edifício de vulto a ser construído no instituto, em 1914. Atualmente, abriga a Divisão Cultural, Farmacologia e Bioquímica.

O primeiro edifício de vulto a ser construído no instituto, em 1914. Atualmente, abriga a Divisão Cultural, Farmacologia e Bioquímica.

O edifício também abriga uma biblioteca, que tem um acervo de cerca de 15.000 volumes de livros, teses, dissertações e obras raras, além de uma coleção de 200.000 fascículos de periódicos.

O edifício também abriga uma biblioteca, que tem um acervo de cerca de 15.000 volumes de livros, teses, dissertações e obras raras, além de uma coleção de 200.000 fascículos de periódicos.

Os coqueiros repletos de frutos

Os coqueiros repletos de frutos

O serpentário, que foi construído praticamente ao mesmo tempo que o prédio central, em 1914. Ali eram realizadas as coletas dos venenos necessários para a produção de soros.

O serpentário, que foi construído praticamente ao mesmo tempo que o prédio central, em 1914. Ali eram realizadas as coletas dos venenos necessários para a produção de soros.

Atualmente, a maioria das serpentes são mantidas em salas climatizadas, e a extração de veneno é mais efetiva. O serpentário foi reformado, para oferecer aos animais um ambiente similar ao seu habitat natural.

Atualmente, a maioria das serpentes são mantidas em salas climatizadas, e a extração de veneno é mais efetiva. O serpentário foi reformado, para oferecer aos animais um ambiente similar ao seu habitat natural.

As cobras estavam todas exibidas, querendo aparecer no blog!

As cobras estavam todas exibidas, querendo aparecer no blog!

Essa está descansando em sua casinha.

Essa está descansando em sua casinha.

Essas duas estavam fazendo uma dança sincronizada. Olha essa cobra posando para nossas lentes! Ssssssss!!!!

Essas duas estavam fazendo uma dança sincronizada. Olha essa cobra posando para nossas lentes! Ssssssss!!!!

Segundo o painel, somente 5 espécies de serpentes estão no serpentário, devido a fatores como adaptação ao local, alimentação e controle de doenças.

Segundo o painel, somente 5 espécies de serpentes estão no serpentário, devido a fatores como adaptação ao local, alimentação e controle de doenças.

Antigos abrigos de serpentes, que eram utilizados no serpentário. Eles foram desativados, por não protegerem os animais do frio e do calor intenso.

Antigos abrigos de serpentes, que eram utilizados no serpentário. Eles foram desativados, por não protegerem os animais do frio e do calor intenso.

A atividade "Mão na cobra, só no Butantan" é gratuita, e acontece todas as quintas-feiras, das 15:30 às 16:30. A garotada pode interagir com os animais e é um programa super legal!

A atividade “Mão na cobra, só no Butantan” é gratuita, e acontece todas as quintas-feiras, das 15:30 às 16:30. A garotada pode interagir com os animais e é um programa super legal!

Gostaram? O Instituto Butantan é super interessante e vale a visita! Até o próximo passeio!

Gostaram? O Instituto Butantan é super interessante e vale a visita! Até o próximo passeio!

Veja a localização no mapa:
Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

2 comments to Instituto Butantan Em Foco

  • Anonymous  says:

    Legal !!! Ficou nota 10 Mina !!!!

  • Mina Yodono  says:

    Obrigada, que bom que vc gostou!

Deixe um comentário

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam