Avenida Paulista Em Foco

CROP DSC06474

Uma das características marcantes de São Paulo é sua grandeza – tudo na cidade é hiperbólico. Aqui encontramos a maior população do Brasil, problemas gigantescos, congestionamentos inacreditáveis, e enormes contrastes econômicos e sociais. Mas é aqui que encontramos os melhores hospitais, as escolas e universidades mais conceituadas do país, os museus mais importantes da América Latina, inúmeras opções culturais e de lazer para todos os bolsos e todos os gostos, gastronomia rica e variada, os maiores bancos e instituições financeiras, para citar alguns exemplos. E não tem lugar que retrate melhor essa grandeza de São Paulo que a Avenida Paulista! Nos idos do século XVIII, a região não passava de uma floresta chamada Caaguaçu, ou “mato grande”, em tupi. Era por lá que passavam as boiadas em direção ao matadouro. Com o crescimento da cidade, e a saturação do centro de São Paulo e regiões próximas como Higienópolis e Campos Eliseos, surgiu a necessidade de se expandir os horizontes e buscar novas áreas residenciais. O engenheiro uruguaio Joaquim Eugênio de Lima, juntamente com 2 sócios, adquiriu as terras da região, e projetou a avenida, que foi inaugurada em 1891. O seu projeto era inovador: a avenida era larga, espaçosa, cercada por plátanos e magnólias, com enormes lotes de cada lado. Iria ser chamada de Avenida das Acácias ou Prado de São Paulo, mas Joaquim Eugênio de Lima a batizou de Avenida Paulista, “em homenagem aos paulistas”, segundo suas palavras. Elegantes palacetes tomaram a avenida, que foi a primeira via asfaltada da cidade. O belo Parque Villon, também conhecido como Trianon, foi aberto em 1892. Os anos passaram, e os palacetes deram lugar aos arranha-céus a partir da década de 1950. Muitas coisas mudaram desde sua inauguração, mas a grandiosidade e elegância da avenida permanecem até hoje!Eleita como o “símbolo de São Paulo” em 1990, a Avenida Paulista é um autêntico cartão postal, frequentado por turistas brasileiros e estrangeiros. É o mais importante centro financeiro, empresarial e comercial da América Latina, sede de inúmeras empresas, bancos, escolas, redes de rádio e televisão, lojas, restaurantes, centros culturais e consulados. Tenho o prazer de morar e trabalhar na região da Paulista, e adoro percorrer seus 2.8km a pé no final da tarde, observando a arquitetura de seus modernos edifícios e dos poucos palacetes que remanescem dos tempos de sua inauguração. A diversidade das pessoas que vivem, trabalham, estudam ou simplesmente passeiam por lá é fascinante. Frequentar suas excelentes livrarias, cafés e cinemas é um programaço, e ter um museu do porte do MASP a nossa disposição é um grande privilégio! Logicamente, existem problemas que precisam ser tratados pelo poder público: descaso com monumentos, moradores de rua, falta de segurança também atingem a região. Mas nada disso é suficiente para diminuir o seu brilho!A Avenida Paulista é bem servida pelo transporte público, com várias linhas de ônibus e quatro estações de metrô em toda a sua extensão (Estações Brigadeiro, Trianon/Masp e Consolação, da linha verde, e Estação Paulista, da linha amarela). Não aconselho ir de carro: os estacionamentos tem os preços mais caros de São Paulo! Só não deixe de conhecer esta que é a mais perfeita síntese de São Paulo, a mais paulista de todas as avenidas!

A Avenida Bernardino de Campos, que precede a Avenida Paulista.

A Avenida Bernardino de Campos, que precede a Avenida Paulista.

No encontro da Av. Bernardino de Campos e da Rua do Paraiso, temos a Eparquia Nossa Senhora do Paraiso, uma igreja greco-católica melquita, que realiza missas em grego, árabe e português.

No encontro da Av. Bernardino de Campos e da Rua do Paraiso, temos a Eparquia Nossa Senhora do Paraiso, uma igreja greco-católica melquita, que realiza missas em grego, árabe e português.

Aqui começa a Avenida Paulista, inaugurada em 8 de dezembro de 1891. Está localizada numa das regiões mais altas da cidade, chamada de Espigão da Paulista.

Aqui começa a Avenida Paulista, inaugurada em 8 de dezembro de 1891. Está localizada numa das regiões mais altas da cidade, chamada de Espigão da Paulista. 

A Praça Oswaldo Cruz, bem no comecinho da Avenida Paulista.

A Praça Oswaldo Cruz, bem no comecinho da Avenida Paulista.

A direita fica a Rua 13 de Maio, que vai para o bairro italiano do Bixiga.

A direita fica a Rua 13 de Maio, que vai para o bairro italiano do Bixiga.

O shopping center Pátio Paulista, na rua 13 de Maio, em frente à Praça Oswaldo Cruz. São Paulo tem mais de 9.000 lojas localizadas em shopping centers como esse.

O shopping center Pátio Paulista, na Rua 13 de Maio, em frente à Praça Oswaldo Cruz. São Paulo tem mais de 9.000 lojas localizadas em shopping centers como esse.

Na praça Oswaldo Cruz, está a estátua "Índio pescador", esculpida em bronze pelo artista Francisco Leopoldo e Silva em 1928.

Na praça Oswaldo Cruz, está a estátua “Índio pescador”, esculpida em bronze pelo artista Francisco Leopoldo e Silva em 1928.

Infelizmente, como muitos monumentos em São Paulo, este também está em péssimo estado de conservação. A fonte está seca, a estátua está suja e com partes faltando - o arpão desapareceu. A praça está frequentemente tomada por moradores de rua.

Infelizmente, como muitos monumentos em São Paulo, este também está em péssimo estado de conservação. A fonte está seca, a estátua está suja e com partes faltando – o arpão desapareceu. A praça está frequentemente tomada por moradores de rua.

A bela Casa das Rosas, projetada por Ramos de Azevedo, concluída em 1935.

A bela Casa das Rosas, projetada por Ramos de Azevedo, concluída em 1935.

A casa foi construída como presente de casamento para uma das filhas de Ramos de Azevedo, Lucia Azevedo Dias de Castro. Ela residiu na casa com seu marido, o engenheiro Ernesto Dias de Castro, por 51 anos.

A casa foi construída como presente de casamento para uma das filhas de Ramos de Azevedo, Lucia Azevedo Dias de Castro. Ela residiu na casa com seu marido, o engenheiro Ernesto Dias de Castro, por 51 anos.

Por ter um dos jardins de rosas mais bonitos da cidade, ela recebeu o nome de Casa das Rosas em 1991, e passou a abrigar um espaço cultural.

Por ter um dos jardins de rosas mais bonitos da cidade, ela recebeu o nome de Casa das Rosas em 1991, e passou a abrigar um espaço cultural.

Por reunir em seu acervo a obra e objetos pessoais do poeta Haroldo de Campos, falecido em 2003, o espaço passou a se chamar "Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura" a partir de 2004.

Por reunir em seu acervo a obra e objetos pessoais do poeta Haroldo de Campos, falecido em 2003, o espaço passou a se chamar “Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura” a partir de 2004.

O espaço abriga diversos saraus, recitais, lançamentos de livros, peças de teatro, cursos, exposições e diversas expressões de arte.

O espaço abriga diversos saraus, recitais, lançamentos de livros, peças de teatro, cursos, exposições e diversas expressões de arte.

A Casa das Rosas é um dos últimos casarões da Avenida Paulista. Ele foi construído numa área de 5.500 m² e possui 30 cômodos no estilo arquitetônico francês.

A Casa das Rosas é um dos últimos casarões da Avenida Paulista. Ele foi construído numa área de 5.500 m² e possui 30 cômodos no estilo arquitetônico francês.

No hall de entrada, há um belo vitral assinado por Carlos Sorgenicht, da renomada Casa Conrado, que executou os vitrais da Estação Julio Prestes, Mercadão, Catedral da Sé, Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, entre outros.

No hall de entrada, há um belo vitral assinado por Carlos Sorgenicht, da renomada Casa Conrado, que executou os vitrais da Estação Julio Prestes, Mercadão, Catedral da Sé, Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, entre outros.

Um belo ipê amarelo florido no jardim da Casa das Rosas. Os jardins e seu roseiral foram inspirados nos jardins do Palácio de Versalhes, na França.

Um belo ipê amarelo florido no jardim da Casa das Rosas. Os jardins e seu roseiral foram inspirados nos jardins do Palácio de Versalhes, na França.

Um belo detalhe na sacada da casa. A casa dispunha de vários luxos, com uma edícula onde morava o motorista da família, acima da garagem para três carros.

Um belo detalhe na sacada da casa. A casa dispunha de vários luxos, com uma edícula onde morava o motorista da família, acima da garagem para três carros.

Os pavimentos da casa se dividem em térreo, primeiro andar, mansarda e porão. No seu subsolo havia uma casa de máquinas para o elevador privativo, luxo raro no início do século XX, e a mansarda (o sótão) era utilizada pelos empregados.

Os pavimentos da casa se dividem em térreo, primeiro andar, mansarda e porão. No seu subsolo havia uma casa de máquinas para o elevador privativo, luxo raro no início do século XX, e a mansarda (o sótão) era utilizada pelos empregados.

Os cômodos da casa são divididos em área social, área íntima e de serviço. Havia uma saleta que era utilizada exclusivamente pelos homens da casa, para receber o barbeiro. Pelo jeito, esse era o banheiro dos meninos...

Os cômodos da casa são divididos em área social, área íntima e de serviço. Havia uma saleta que era utilizada exclusivamente pelos homens da casa, para receber o barbeiro. Pelo jeito, esse era o banheiro dos meninos…

E esse das meninas!

E esse das meninas!

"Retrato de Ramos de Azevedo", pintado em 1898 por Oscar Pereira da Silva. O arquiteto não viveu para ver a casa concluída, falecendo em 1928. Mas o legado de sua obra na cidade é imenso!

“Retrato de Ramos de Azevedo”, pintado em 1898 por Oscar Pereira da Silva. O arquiteto não viveu para ver a casa concluída, falecendo em 1928. Mas o legado de sua obra na cidade é imenso!

A casa foi habitada até 1986, quando foi desapropriada pelo governo do estado e tombada pelo patrimônio histórico. Graças a um acordo com a iniciativa privada, foi dada permissão para a construção de um prédio nos fundos do terreno, em troca da restauração da casa, que estava em péssimo estado de conservação.

A casa foi habitada até 1986, quando foi desapropriada pelo governo do estado e tombada pelo patrimônio histórico. Graças a um acordo com a iniciativa privada, foi dada permissão para a construção de um prédio nos fundos do terreno, em troca da restauração da casa, que estava em péssimo estado de conservação.

Em frente à Casa das Rosas, o Hospital e Maternidade Santa Catarina. Fundado em 1906 por iniciativa da irmã beata Heinrich, da Alemanha, originalmente se chamava Sanatório Santa Catarina, e foi o primeiro hospital particular da cidade.

Em frente à Casa das Rosas, o Hospital e Maternidade Santa Catarina. Fundado em 1906 por iniciativa da irmã beata Heinrich, da Alemanha, originalmente se chamava Sanatório Santa Catarina, e foi o primeiro hospital particular da cidade.

O conceituado hospital é também uma galeria de arte a céu aberto. No seu muro externo, há vários painéis sobre o tema da maternidade, executados por diversos artistas.

O conceituado hospital é também uma galeria de arte a céu aberto. No seu muro externo, há vários painéis sobre o tema da maternidade, executados por diversos artistas.

A bela capela do hospital foi inaugurada em 1920. O seu interior é decorado com diversos afrescos, vitrais e esculturas. Para os cânticos, a capela conta com um órgão Walker de 600 tubos, de 1958.

A bela capela do hospital foi inaugurada em 1920. O seu interior é decorado com diversos afrescos, vitrais e esculturas. Para os cânticos, a capela conta com um órgão Walker de 600 tubos, de 1958.

Nas arcadas da capela, o pintor italiano Maco Ulgheri retratou a vida de Santa Catarina em 5 afrescos, que foram concluídos em 1998.

Nas arcadas da capela, o pintor italiano Marco Ulgheri retratou a vida de Santa Catarina em 5 afrescos, que foram concluídos em 1998.

Naquela direção fica o Parlatório da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, ordem que fundou e gerencia o hospital até hoje. O hospital, que é um dos maiores da cidade, também conta com o Centro Cultural Santa Catarina, que promove exposições e espetáculos diversos.

Naquela direção fica o Parlatório da Congregação das Irmãs de Santa Catarina, ordem que fundou e gerencia o hospital até hoje. O hospital, que é um dos maiores da cidade, também conta com o Centro Cultural Santa Catarina, que promove exposições e espetáculos diversos.

Na parede externa do hospital há uma série de 24 painéis de bronze, de autoria do artista italiano Marco Ulgheri, que retratam a história da medicina em ordem cronológica. Os poemas são de Eduardo Cury.

Na parede externa do hospital há uma série de 24 painéis de bronze, de autoria do artista italiano Marco Ulgheri, que retratam a história da medicina em ordem cronológica. Os poemas são de Eduardo Cury.

Um painel no lado externo da futura sede do novo SESC Paulista, que se encontra em reforma.

Um painel no lado externo da futura sede do novo SESC Paulista, que se encontra em reforma.

O edifício do Itaú Cultural, fundado em 1987, que abriga interessantes exposições e apresentações culturais diversas.

O edifício do Itaú Cultural, fundado em 1987, que abriga interessantes exposições e apresentações culturais diversas.

A Escola Estadual Rodrigues Alves, fundada em 1907. A única escola pública da avenida foi projetada por Ramos de Azevedo, e em 1932 foi utilizada para abrigar os revolucionários da Revolução Paulista.

A Escola Estadual Rodrigues Alves, fundada em 1907. A única escola pública da avenida foi projetada por Ramos de Azevedo, e em 1932 foi utilizada para abrigar os revolucionários da Revolução Paulista.

Tombado pelo patrimônio histórico, o edifício foi restaurado entre 2003 e 2005. A tinta utilizada na sua pintura teve de ser importada da Itália, devido à dificuldade de se encontrar o tom de amarelo igual ao do original em tintas nacionais.

Tombado pelo patrimônio histórico, o edifício foi restaurado entre 2003 e 2005. A tinta utilizada na sua pintura teve de ser importada da Itália, devido à dificuldade de se encontrar o tom de amarelo igual ao do original em tintas nacionais.

O Itaú Cultural e a Escola Rodrigues Alves vistos do outro lado da avenida. Até 1872, toda essa região não passava de uma grande floresta chamada "Caaguaçu", mato grande em tupi.

O Itaú Cultural e a Escola Rodrigues Alves vistos do outro lado da avenida. Até 1872, toda essa região não passava de uma grande floresta chamada “Caaguaçu”, mato grande em tupi.

O engenheiro uruguaio Joaquim Eugenio de Lima, juntamente com outros 2 sócios, compraram os terrenos e chácaras da região, e começaram a urbanização da área. Eles foram inovadores ao criar grandes lotes residenciais, preparados para receber palacetes.

O engenheiro uruguaio Joaquim Eugênio de Lima, juntamente com outros 2 sócios, compraram os terrenos e chácaras da região, e começaram a urbanização da área. Eles foram inovadores ao criar grandes lotes residenciais, preparados para receber palacetes.

A Avenida Paulista foi a primeira via pública asfaltada e arborizada da cidade. Ela era inovadora no seu desenho: era muito larga, com três vias separadas por grandes plátanos e magnólias.

A Avenida Paulista foi a primeira via pública asfaltada e arborizada da cidade. Ela era inovadora no seu desenho: era muito larga, com três vias separadas por grandes plátanos e magnólias.

O belo edifício-sede da Copersucar, um dos muitos prédios na avenida que abrigam centenas de multinacionais, órgãos públicos, escolas e universidades, lojas, consulados, bancos e instituições financeiras.

O belo edifício-sede da Copersucar, um dos muitos prédios na avenida que abrigam centenas de multinacionais, órgãos públicos, escolas e universidades, lojas, consulados, bancos e instituições financeiras.

O Instituto Pasteur, fundado em 1903. Destaca-se por seus estudos na área da saúde pública, sendo um dos institutos mais renomados na área de bacteriologia e patologia animal, principalmente a raiva.

O Instituto Pasteur, fundado em 1903. Destaca-se por seus estudos na área da saúde pública, sendo um dos institutos mais renomados na área de bacteriologia e patologia animal, principalmente a raiva.

Perto da estação Brigadeiro do metrô (linha verde), um enorme grafite enfeita a avenida!

Perto da estação Brigadeiro do metrô (linha verde), um enorme grafite enfeita a avenida!

Na esquina da Avenida Brigadeiro Luis Antonio, que corta a avenida Paulista. Essa importante via liga o Largo de São Francisco, no centro da cidade, ao bairro do Itaim.

Na esquina da Avenida Brigadeiro Luis Antonio, que corta a avenida Paulista. Essa importante via liga o Largo de São Francisco, no centro da cidade, ao bairro do Itaim-Bibi, na zona oeste de São Paulo.

Paróquia da Imaculada Conceição, na Avenida Brigadeiro Luis Antonio. Foi inaugurada em 1911 por Dom Duarte Leopoldo e Silva, o primeiro arcebispo de São Paulo.

Paróquia da Imaculada Conceição, na Avenida Brigadeiro Luis Antonio. Foi inaugurada em 1911 por Dom Duarte Leopoldo e Silva, o primeiro arcebispo de São Paulo.

O belo interior da paróquia. Em 1912, a igreja recebeu o altar-mor e os púlpitos da antiga Sé de São Paulo, que foi demolida naquele ano.

O belo interior da paróquia. Em 1912, a igreja recebeu o altar-mor e os púlpitos da antiga Sé de São Paulo, que foi demolida naquele ano.

As escadarias do Edifício Casper Líbero, que abriga rádios, a Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero, a rede Gazeta de TV e os jornais Gazeta Esportiva e A Gazeta. O prédio também abriga uma escola, um teatro e a Reserva Cultural, com 4 salas de cinema.

As escadarias do Edifício Casper Líbero, que abriga rádios, a Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero, a rede Gazeta de TV e os jornais Gazeta Esportiva e A Gazeta. O prédio também abriga uma escola, um teatro e a Reserva Cultural, com 4 salas de cinema.

A Alameda Rio Claro, uma transversal da avenida que foi revitalizada e transformada num calçadão em 2002. A via, rebatizada como Alameda das Flores, abriga apresentações musicais e uma feira de ONGs nos finais de semana.

A Alameda Rio Claro, uma transversal da avenida que foi revitalizada e transformada num calçadão em 2002. A via, rebatizada como Alameda das Flores, abriga apresentações musicais e uma feira de ONGs nos finais de semana.

O edifício-sede da FIESP, Federação das Indústrias de São Paulo. Inaugurado em 1979 e projetado por Paulo Mendes Rocha, um dos papas da arquitetura moderna.

O edifício-sede da FIESP, Federação das Indústrias de São Paulo, que foi inaugurado em 1979 e projetado por Paulo Mendes Rocha, um dos papas da arquitetura moderna.

O edifício abriga o Centro Cultural FIESP Ruth Cardoso, que dispõe de um teatro que oferece ótimos espetáculos gratuitos, exposições e diversificada programação cultural. O prédio está em frente à Estação Trianon-Masp do metrô (linha verde).

O edifício abriga o Centro Cultural FIESP Ruth Cardoso, que dispõe de um teatro que oferece ótimos espetáculos gratuitos, exposições e diversificada programação cultural. O prédio está em frente à Estação Trianon-Masp do metrô (linha verde).

Durante muitos anos, a Avenida Paulista foi uma via estritamente residencial, e a construção de prédios era proibida. A partir da década de 1950, uma lei promulgada pelo prefeito Armando de Arruda Pereira permitiu a construção de edifícios hospitalares e de cunho educacional e cultural.

Durante muitos anos, a Avenida Paulista foi uma via estritamente residencial, e a construção de prédios era proibida. A partir da década de 1950, uma lei promulgada pelo prefeito Armando de Arruda Pereira permitiu a construção de edifícios hospitalares e de cunho educacional e cultural.

Posteriormente, a permissão de construção de edifícios foi estendida para estabelecimentos comerciais e escritórios. Em 1968, o plano de alargamento da avenida foi aprovado. 10 m de cada lado da avenida foram desapropriados, e a via passou a ter 48 m de largura.

Posteriormente, a permissão de construção de edifícios foi estendida para estabelecimentos comerciais e escritórios. Em 1968, o plano de alargamento da avenida foi aprovado. 10 m de cada lado da avenida foram desapropriados, e a via passou a ter 48 m de largura.

O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, mais conhecido como MASP. Projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi, o edifício foi inaugurado em 1968.

O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, mais conhecido como MASP. Projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi, o edifício foi inaugurado em 1968.

O edifício tem seu corpo sustentado por 4 pilares laterais, com um vão livre de 74 m. Em termos arquitetônicos, isso faz dele um edifício único no mundo! O MASP foi inaugurado em 1947, e antes de ocupar esse edifício na Avenida Paulista, o museu se localizava na Rua Sete de Abril, no centro da cidade.

O edifício tem seu corpo sustentado por 4 pilares laterais, com um vão livre de 74 m. Em termos arquitetônicos, isso faz dele um edifício único no mundo! O MASP foi inaugurado em 1947, e antes de ocupar esse edifício na Avenida Paulista, o museu se localizava na Rua Sete de Abril, no centro da cidade.

O MASP tem o acervo mais importante na América do Sul, com obras de mestres como Renoir, Monet, Rembrandt, Velazquéz, Goya e Rafael, entre outros. O museu conta com uma biblioteca, fototeca, filmoteca, videoteca e oferece cursos de artes, tornando-o um centro cultural completo.

O MASP tem o acervo mais importante na América do Sul, com obras de mestres como Renoir, Monet, Rembrandt, Velazquéz, Goya e Rafael, entre outros. O museu conta com uma biblioteca, fototeca, filmoteca, videoteca e oferece cursos de artes, tornando-o um centro cultural completo.

Além de seu acervo permanente, suas mostras temporárias são imperdíveis! Já houve mostras disputadíssimas de artistas como Monet, Modigliani e Caravaggio. Está aberto de terça a domingo, e a entrada é gratuita nas terças-feiras.

Além de seu acervo permanente, suas mostras temporárias são imperdíveis! Já houve mostras disputadíssimas de artistas como Monet, Modigliani e Caravaggio. Está aberto de terça a domingo, e a entrada é gratuita nas terças-feiras.

O terreno foi doado para a prefeitura para a construção do MASP, sob a condição de que a vista para o centro da cidade e a Serra da Cantareira fosse preservada. Isso foi possível graças ao vão livre. De lá podemos ver a Avenida Nove de Julho, que vai até o Vale do Anhangabaú, no centro da cidade.

O terreno foi doado para a prefeitura para a construção do MASP, sob a condição de que a vista para o centro da cidade e a Serra da Cantareira fosse preservada. Isso foi possível graças ao vão livre. De lá podemos ver a Avenida Nove de Julho, que liga o Vale do Anhangabaú, no centro da cidade, ao bairro do Itaim-Bibi.

O vão livre do MASP é um espaço bem democrático, onde ocorrem várias manifestações públicas e culturais, desde passeatas e protestos a mostras de cinema. Desde 1979, o vão abriga a feira de antiguidades todos os domingos, das 10:00 às 17:00.

O vão livre do MASP é um espaço bem democrático, onde ocorrem várias manifestações públicas e culturais, desde passeatas e protestos a mostras de cinema. Desde 1979, o vão abriga a feira de antiguidades todos os domingos, das 10:00 às 17:00.

Em frente ao MASP, está o Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como o Parque do Trianon. Inaugurado em 1892, juntamente com a Avenida Paulista, e projetado pelo paisagista francês Paul Villon, é o pulmão verde da região.

Em frente ao MASP, está o Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como o Parque do Trianon. Inaugurado em 1892, juntamente com a Avenida Paulista, e projetado pelo paisagista francês Paul Villon, é o pulmão verde da região.

Em frente ao parque está a estátua "Anhanguera", esculpida em 1924 pelo artista italiano Luiz Brizzolara. O bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva ganhou o apelido de "Anhanguera", ou "homem que faz fogo" em tupi, por atear fogo em alcool para se salvar de índios que o ameaçavam de morte. Achando que ele ateara fogo em água, os índios entregaram a ele todo o ouro que possuíam.

Em frente ao parque está a estátua “Anhanguera”, esculpida em 1924 pelo artista italiano Luiz Brizzolara. O bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva ganhou o apelido de “Anhanguera”, ou “homem que faz fogo” em tupi, por atear fogo em álcool para se salvar de índios que o ameaçavam de morte. Achando que ele ateara fogo em água, os índios entregaram a ele todo o ouro que possuíam.

Alô, alô, responde! Uma das cabines telefônicas decoradas da avenida.

Alô, alô, marciano, aqui quem fala é da Terra! Uma das cabines telefônicas decoradas da avenida.

Uma das poucas casas que ainda restam na Avenida Paulista, que hoje abriga uma agência bancária. Na época do Natal, essa bela casa e vários outros edifícios da avenida recebem decorações natalinas, atraindo centenas de turistas e visitantes.

Uma das poucas casas que ainda restam na Avenida Paulista, que hoje abriga uma agência bancária. Na época do Natal, essa bela casa e vários outros edifícios da avenida recebem decorações natalinas, atraindo centenas de turistas e visitantes.

Por sua localização privilegiada e boa infra-estrutura, a região atraiu muitos investimentos. A Avenida Paulista é o maior centro empresarial da América Latina, e recebe milhares de turistas de negócios todos os anos.

A Avenida Paulista e suas redondezas abrigam diversos órgãos públicos. O edifício da esquerda é a sede do Banco Central do Brasil em São Paulo.

DSC06361

Por sua localização privilegiada e boa infra-estrutura, a região atraiu muitos investimentos. A Avenida Paulista é o maior centro empresarial da América Latina, e recebe milhares de turistas de negócios todos os anos.

Na esquina da Alameda Ministro Rocha Azevedo fica o Parque Prefeito Mário Covas, inaugurado em 2010.

Na esquina da Alameda Ministro Rocha Azevedo fica o Parque Prefeito Mário Covas, inaugurado em 2010.

Outro casarão que, infelizmente, está em estado precário de conservação. O belo palacete foi construído em 1905, pelo cafeicultor Joaquim Franco de Mello, e devido a pendengas judiciais, encontra-se abandonado. Tombado pelo patrimônio histórico, existem planos de transformar a casa em um centro cultural.

Outro casarão que, infelizmente, está em estado precário de conservação. O belo palacete foi construído em 1905, pelo cafeicultor Joaquim Franco de Mello, e devido a pendengas judiciais encontra-se abandonado. Tombado pelo patrimônio histórico, existem planos de transformar a casa em um centro cultural.

Os belos prédios espelhados do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

Os belos prédios espelhados do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

A Alameda Ministro Rocha Azevedo, ao lado dos prédios do TRF.

A Alameda Ministro Rocha Azevedo, ao lado dos prédios do TRF.

Os jardins na praça do complexo do TRF, um oásis de tranquilidade na avenida!

Os jardins na praça do complexo do TRF, um oásis de tranquilidade na avenida!

Ao fundo, o restaurante Spot, um dos lugares mais badalados na cidade.

Ao fundo, o restaurante Spot, um dos restaurantes mais badalados na cidade.

Em plena Avenida Paulista, encontramos uma horta com temperos diversos: hortelã, manjericão, alecrim...

Em plena Avenida Paulista, encontramos uma horta com temperos diversos: hortelã, manjericão, alecrim…

É sempre gostoso ver água e verde no meio de tanto concreto!

É sempre gostoso ver água e verde no meio de tanto concreto!

O Conjunto Nacional, inaugurado em 1958. Construído na época dos grandes casarões, foi um dos responsáveis pela transformação da avenida no maior centro financeiro do país. Ele abriga bancos, escritórios, residências, restaurantes, cinemas, a excelente Livraria Cultura, lojas, academia e o Centro Caixa Cultural, que apresenta diversas exposições.

O Conjunto Nacional, inaugurado em 1958. Construído na época dos grandes casarões, foi um dos responsáveis pela transformação da avenida no maior centro financeiro do país. Ele abriga bancos, escritórios, residências, restaurantes, cinemas, a excelente Livraria Cultura, lojas, academia e o Centro Caixa Cultural, que apresenta diversas exposições.

O Shopping Center 3, inaugurado em 1969. Passou por diversas transformações ao longo dos anos, e um dos prédios já foi destruído por um incêndio em 1987. Hoje o complexo tem várias lojas, restaurantes, escritórios e 7 salas de cinema.

O Shopping Center 3, inaugurado em 1969. Passou por diversas transformações ao longo dos anos, e um dos prédios já foi destruído por um incêndio em 1987. Hoje o complexo tem várias lojas, restaurantes, escritórios e 7 salas de cinema.

Estamos perto da Estação Consolação do metrô (linha verde). Todos os anos, a avenida sedia a festa de Reveillon neste ponto, onde mais de 2 milhões de pessoas vem assistir aos shows de música e queima de fogos. A avenida também é palco da tradicional Corrida de São Silvestre, com a participação de atletas nacionais e internacionais, e milhares de corredores amadores.

Estamos perto da Estação Consolação do metrô (linha verde). Todos os anos, a avenida sedia a festa de Réveillon neste ponto, onde mais de 2 milhões de pessoas vem assistir aos shows de música e queima de fogos. A avenida também é palco da tradicional Corrida de São Silvestre, com a participação de atletas nacionais e internacionais, e milhares de corredores amadores.

O edifício que abriga o Consulado da Itália. Na avenida está a maior concentração de consulados da cidade, tais como os consulados do Japão, India, Africa do Sul, Argentina, Bélgica, Coréia do Sul, França, Taiwan, entre outros.

O edifício que abriga o Consulado da Itália. Na avenida está a maior concentração de consulados da cidade, tais como os consulados do Japão, Índia, Africa do Sul, Argentina, Bélgica, Coréia do Sul, França, Taiwan, entre outros.

Devido aos negócios e eventos diversos que sedia, como a Corrida de São Silvestre, a festa de Reveillon e a Parada do Orgulho GLBT, a avenida recebe muitos turistas. A rede hoteleira da região oferece acomodações para todos os bolsos e perfis de turistas.

Devido aos negócios e eventos diversos que sedia, como a Corrida de São Silvestre, a festa de Réveillon e a Parada do Orgulho GLBT, a avenida recebe muitos turistas. A rede hoteleira da região oferece acomodações para todos os bolsos e perfis de turistas.

O Edifício Safra, na esquina da Rua Augusta. Com suas dezenas de bancos, financeiras, casas de câmbio e escritórios das mais diversas áreas, a avenida recebeu o apelido de 5ª Avenida brasileira, em alusão à 5th Avenue de Nova York.

O Edifício Safra, na esquina da Rua Augusta. Com suas dezenas de bancos, financeiras, casas de câmbio e escritórios das mais diversas áreas, a avenida recebeu o apelido de 5ª Avenida brasileira, em alusão à 5th Avenue de Nova York.

Apesar de ter perdido muito de seu perfil residencial da época de sua inauguração, a avenida tem 200.000 moradores. Se ela fosse uma cidade, estaria entre as 150 maiores cidades do país, com a população próxima de cidades como Praia Grande e Boa Vista!

Apesar de ter perdido muito de seu perfil residencial da época de sua inauguração, a avenida tem 200.000 moradores. Se ela fosse uma cidade, estaria entre as 150 maiores cidades do país, com a população próxima de cidades como Praia Grande e Boa Vista!

A Igreja São Luis Gonzaga, inaugurada em 1935. Ao seu lado está o tradicional Colégio São Luís. A igreja foi projetada por um ex-aluno do São Luis, o arquiteto Luis de Anhaia Mello.

A Igreja São Luis Gonzaga, inaugurada em 1935. Ao seu lado está o tradicional Colégio São Luís. A igreja foi projetada por um ex-aluno do São Luis, o arquiteto Luis de Anhaia Mello.

A bela igreja foi projetada em estilo greco-romano. O grande pórtico, em estilo jônico, tem colunas de 11 m de granito rosa, e foi inspirado no Templo de Erectheion, da Grécia.

A bela igreja foi projetada em estilo greco-romano. O grande pórtico, em estilo jônico, tem colunas de 11 m de granito rosa, e foi inspirado no Templo de Erectheion, na Grécia. 

Quase no fim da avenida, o complexo viário José Roberto Fanganiello Melhem, também conhecido como o Túnel Paulista ou Túnel Rebouças. Indo naquela direção, chegamos à Avenida Rebouças ou a Avenida Doutor Arnaldo, importantes vias que levam à zona oeste de São Paulo.

Quase no fim da avenida, o complexo viário José Roberto Fanganiello Melhem, também conhecido como o Túnel Paulista ou Túnel Rebouças. Indo naquela direção, chegamos à Avenida Rebouças ou a Avenida Doutor Arnaldo, importantes vias que levam à zona oeste de São Paulo.

A Avenida Paulista liga a zona sul a zone oeste. Com suas transversais, compõe um importante eixo viário, ao interligar importantes vias de São Paulo.

A Avenida Paulista liga a zona sul a zone oeste. Com suas transversais, compõe um importante eixo viário, ao interligar importantes vias de São Paulo.

A Praça do Ciclista, que recebeu este nome oficialmente em 2007. É um ponto de encontro dos participantes da Bicicletada, que defendem o uso da bicicleta como meio de transporte na cidade.

A Praça do Ciclista, que recebeu este nome oficialmente em 2007. É um ponto de encontro dos participantes da Bicicletada, que defendem o uso da bicicleta como meio de transporte na cidade.

Na Praça do Ciclista fica o monumento a Francisco Miranda, precursor do movimento de independência e unidade dos países latino-americanos. Esculpido pelos artistas venezuelanos L. Gonzales e Carmelo Tabacco, a obra foi presenteada em 1978 pelo governo da Venezuela.

Na Praça do Ciclista fica o monumento a Francisco Miranda, precursor do movimento de independência e unidade dos países latino-americanos. Esculpido pelos artistas venezuelanos L. Gonzales e Carmelo Tabacco, a obra foi presenteada em 1978 pelo governo da Venezuela.

A Rua Consolação, quando cruza com a Avenida Paulista. Naquela direção, chegaremos à Avenida São Luis, no centro da cidade. Daqui podemos ver a Estação Paulista do metrô (linha amarela), ao lado do prédio vermelho.

A Rua Consolação, quando cruza com a Avenida Paulista. Naquela direção, chegaremos à Avenida São Luis, no centro da cidade. Daqui podemos ver a Estação Paulista do metrô (linha amarela), ao lado do prédio vermelho.

O complexo viário, em direção à Avenida Doutor Arnaldo. Ao fundo, podemos ver o Hospital das Clínicas, centro de excelência médica na cidade.

O complexo viário, em direção à Avenida Doutor Arnaldo. Ao fundo, podemos ver o Hospital das Clínicas, centro de excelência médica na cidade.

O ultimo quarteirão da Avenida Paulista.

O ultimo quarteirão da Avenida Paulista.

Na esquina da Avenida Paulista com a Avenida Angélica. Para lá, fica o bairro de Higienópolis.

Na esquina da Avenida Paulista com a Avenida Angélica. Para lá, fica o bairro de Higienópolis.

E chegamos na Praça Marechal Cordeiro de Faria, também conhecida como Praça dos Arcos, no fim da Avenida Paulista.

E chegamos na Praça Marechal Cordeiro de Faria, também conhecida como Praça dos Arcos, no fim da Avenida Paulista.

Em 1991, em comemoração ao centenário da Avenida Paulista, foi encomendada à artista Lilian Amaral e ao arquiteto Jorge Bassani a escultura "Arcos ou Caminho", composta de 12 arcos coloridos.

Em 1991, em comemoração ao centenário da Avenida Paulista, foi encomendada à artista Lilian Amaral e ao arquiteto Jorge Bassani a escultura “Arcos ou Caminho”, composta de 12 arcos coloridos.

O tradicional bar Metrópolis, que iniciou suas atividades na Avenida Paulista em 1986.

O tradicional bar Metrópolis, que iniciou suas atividades na Avenida Paulista em 1986.

E chegamos a fronteira de Minas Gerais, sô! O Espaço Minas Gerais, na esquina da Avenida Paulista e Rua Minas Gerais. Tem a proposta de ser um centro de geração de negócios e promoção da cultura mineira.

E chegamos a fronteira de Minas Gerais, sô! O Espaço Minas Gerais, na esquina da Avenida Paulista e Rua Minas Gerais, tem a proposta de ser um centro de geração de negócios e promoção da cultura mineira.

E para lá, a Avenida Doutor Arnaldo, que vai para a zona oeste de São Paulo. Após 2,8 km, chegamos ao fim da Avenida Paulista, no final da tarde!

E para lá, ficam os bairros do Sumaré e Pacaembu. Após 2,8 km, chegamos ao fim da Avenida Paulista, no final da tarde!

Gostaram? Isso foi só uma amostra das atrações dessa avenida que é o símbolo de São Paulo!  Até o próximo passeio!

Gostaram? Isso foi só uma amostra das atrações dessa avenida que é o símbolo de São Paulo – venha passear na mais paulista das avenidas! Até o próximo passeio!

Veja a localização no mapa:

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter

6 comments to Avenida Paulista Em Foco

  • Anonymous  says:

    Minaaa !!! Parabéns pelo post. Adorei ! Sempre quis conhecer a Casa das Rosas. Mto interessante !!

    Bjinhos,
    Leila

  • Mina Yodono  says:

    Que bom que você gostou, Leila!!! A Avenida Paulista é fascinante, tem tantas coisas que a gente passa batido, né? A Casa das Rosas é linda e merece a visita! Beijos

  • Carlos Alberto Guimarães Alencar  says:

    Parabéns Mina! Sucinto, mas com informações que beiram o didatismo. quem não conhece ainda São Paulo, terá vontade de conhecer.

    • Mina  says:

      Obrigada, Carlos Alberto! Fico feliz que tenha curtido o post! Um grande abraço

  • ADRIANO CARLOS TARDOQUE  says:

    Muito boa a iniciativa do seu blog! Realmente útil e interessante para quem quer conhecer a Av. Paulista.

    • Mina  says:

      Obrigada, Adriano! Fico feliz que o blog tenha sido útil – São Paulo é uma cidade sempre fascinante! Um grande abraço

Deixe um comentário

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam